Bandeiras de cartão: tudo o que você precisa saber

Por Miriam Barros

O cartão de crédito dominou o mercado financeiro e virou o queridinho do consumidor. Junto ao aumento do seu uso, dúvidas sobre o seu funcionamento também têm aumentado, e muitos desconhecem as principais bandeiras de cartão, operadoras e adquirentes.

Nos últimos anos, foi detectado um aumento considerável na utilização de cartões, especialmente na função crédito e nas compras online, devido a sua comodidade, praticidade, e possibilidade do acúmulo de pontos e uma série de outros benefícios. 

De acordo com o SPC Brasil, 52 milhões de brasileiros utilizam o cartão de crédito para fazer compras. 

Afinal, quem não gosta de compras parceladas? Mas, qual o melhor cartão e a bandeira mais indicada?

Diferente do que muita gente pensa, as tarifas, anuidades e as demais taxas são de total responsabilidade da administradora do cartão (bancos ou operadoras) e não das bandeiras. 

A bandeira tem como objetivo apenas mediar as transações entre o consumidor e a instituição financeira

Embora possam parecer similares, as características e a finalidade são totalmente opostas. E por isso, é bom saber quais são as principais bandeiras usadas no Brasil e suas características. 

Uso do cartão como meio de pagamento

O cartão de crédito costuma trazer muitas vantagens aos seus usuários.

Além da segurança como mencionamos acima, ele possui algumas condições que aliviam o bolso do consumidor. 

Desse modo, com a possibilidade das parcelas e condições ótimas de pagamento.

Além disso, os cartões costumam a fornecer bônus que podem ser revertidos em prêmios, milhas e viagens.

E por ser um dos meios favoritos para realizar compras, o pagamento por meio de cartões se tornou essencial para qualquer negócio que deseja aumentar as vendas.

Podemos relacionar o aumento do uso de cartões com a própria expansão do comércio eletrônico e principalmente a digitalização dos serviços financeiros.

A transição entre comércio físico e eletrônico tem sido rápida. Em 2020, por exemplo, o e-commerce cresceu 75%, representando 11% das vendas do varejo brasileiro. 

E o pagamento por meio de cartões segue no mesmo ritmo de expansão.

Uma pesquisa recente mostra que 82% dos consumidores já escolhem o cartão como meio de pagamento para compras parceladas.

Mas esse não é o único dado que reforça a importância dos cartões para a sua loja. 

Em 2020, foi detectado um acréscimo de 12% e 26% no número de cartões de crédito e débito ativos no mercado.

Além disso, quando comparado a outros países da América Latina, o Brasil é a nação que mais usa o cartão de crédito, tanto em lojas físicas, como em e-commerces.

Mas, vale frisar que esse cenário ainda não aponta para um horizonte sem o dinheiro físico, em notas.

Outro estudo da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) revelou que 71% dos pesquisados ainda preferem o dinheiro em nota como meio de pagamento.

Entretanto, o cartão de débito já representa 66% e o de crédito 57% dentre os meios preferidos de pagamento. Ou seja: diversificação é a palavra da vez!

Nesse sentido, contar com diferentes meios de pagamento é essencial para vendedores.

Qual o papel das bandeiras brasileiras?

É super normal não saber para que serve a bandeira do cartão, ou até mesmo, pensar que ela tem a mesma funcionalidade do cartão de crédito.

Apesar de atuarem juntas, suas funções são bem diferentes!

A operadora do cartão tem como objetivo gerenciar as operações bancárias, é ela quem determina o limite de crédito e estabelece as taxas de manutenção.

É de responsabilidade dela a emissão e o envio da fatura. 

Em contrapartida, é de responsabilidade das bandeiras:

  • O gerenciamento das tecnologias (maquininhas);
  • Aceitar as transações;
  • Cobrar uma porcentagem do estabelecimento a cada venda realizada; 
  • Analisar o perfil de consumo dos clientes;
  • Credenciar estabelecimentos.

Entretanto, depois que optar por uma bandeira, sua única preocupação deve ser o número de comércios credenciados.

Principais bandeiras de cartão de crédito 

Existe uma lista de bandeiras no Brasil. São elas: 

Visa 

A Visa teve início em 1958 após o Bank Of America lançar o primeiro programa de cartões de crédito para a classe média e pequenos estabelecimentos.

Hoje, a bandeira americana é aceita em 200 países e atende cerca de 24 milhões de estabelecimentos no mundo.

Mastercard 

Fundada nos Estados Unidos, a história da Mastercard teve início em 1966 após a criação da Associação de Cartões Interbancária (ICA).

Após isso, a rede ganhou expansão internacional, atendendo cerca de 210 países.

Elo 

A Elo é a primeira bandeira de cartões nacional. Foi criada em 1970 pelo Bradesco e mais tarde integrou-se ao Banco do Brasil e à Caixa. 

American Express

É uma bandeira originada nos Estados Unidos, com o foco principal em consumidores com maiores gastos mensais.

A empresa é conhecida por trabalhar com serviços de viagem e fundo mútuo.

Hipercard 

A empresa surgiu em 1969, em Recife, no estado de Pernambuco. A bandeira pertence hoje ao Itaú-Unibanco e sua atuação é predominante na região Nordeste do país.  

Diners Club

Fundada em 1950 e válida em todo o território nacional, é uma bandeira famosa entre os clientes de maior poder aquisitivo.

Para adquirir o cartão é preciso uma renda mínima de R$3.000,00 reais.

 

Como é calculada a taxa de cartão?

É importante compreender que cada modalidade de pagamento possui taxas diferentes a serem aplicadas sobre cada transação.

Em outras palavras: o custo de uma venda a débito é diferente do custo de uma venda a crédito, que difere também em vendas parceladas.

A taxa cobrada de cada máquina de cartão se aplica levando-se em conta a tecnologia utilizada para que o processo aconteça. 

Vale ressaltar que, apesar de muito simples e prático, essas operações possuem custos altos para garantir a proteção dos dados envolvidos em todo o processo.

Por isso, vamos explicar, de forma didática, o que é considerado para a cobrança da taxa de cartão. 

Cartão de débito

As vendas por cartão de débito são as mais baratas entre as taxas que são cobradas pelas operadoras.

Isso porque a transação ocorre diretamente entre as operadoras de cartão (Cielo, Getnet, Rede, Safrapay, etc.) e os bancos emissores (Bradesco, Santander, Itaú, etc.).

Portanto, o pagamento sai imediatamente da conta do cliente e, em seguida, o banco envia a ordem de pagamento para a operadora. 

A operadora, então, processa a transferência do pagamento para o estabelecimento com um prazo de até três dias.

Assim o dinheiro é repassado do consumidor até o comerciante de forma rápida, com juros menores e uma operação mais barata.

Cartão de crédito

As operações a crédito são um pouco mais complexas do que as de débito, pois incluem mais um elemento que encarece a transação: as bandeiras de cartão. 

Mastercard, Visa, Elo, Amex entre outras, são empresas que cedem os créditos, e a compra com cartão de crédito é feita da seguinte forma:

 

  1. O cliente vai até um restaurante, por exemplo, e paga a sua refeição em uma maquininha de cartão da Getnet, com a bandeira Mastercard, à vista;
  2. A Getnet, então, acessa o banco de dados da Mastercard para verificar se existe limite para aquele cartão de crédito que está sendo utilizado;
  3. Apenas para realizar essa transação, a Getnet precisa pagar uma taxa para a Mastercard (ou outra bandeira de cartão). Este custo, portanto, será adicionado ao valor cobrado pela transação para o lojista contratante;
  4. O consumidor paga a fatura do cartão de crédito;
  5. Quando o consumidor pagar a fatura, o dinheiro sairá de seu banco e será entregue à Mastercard;
  6. A Mastercard, então, vai segurar esse dinheiro por mais 15 dias (em média) e pagará à Getnet em 30 dias;

 

Quando este pagamento acontecer, só então será feito o pagamento ao comerciante.

Por ser um processo que envolve mais partes do que a transação de débito, o custo das operações se torna maior. 

Afinal, é necessária uma maior segurança para lidar com os dados envolvidos nesta modalidade de transação. 

É importante salientar que mesmo que o consumidor não pague a fatura do cartão, o comerciante irá receber o valor, pois a Mastercard, neste caso, garante o pagamento à Getnet.

 

Como escolher a maquininha ideal para quem está começando?

Como vimos, cada operadora e bandeira de cartão possui suas particularidades e diferentes taxas de acordo com o método de pagamento.

Por isso, antes de comprar sua maquininha, é preciso analisar as taxas que serão cobradas com base na quantidade de vendas, nas diferentes bandeiras e modalidades (crédito e débito).

Além disso, há o preço da aquisição do aparelho ou pagamento de aluguel.

Pensando estrategicamente, caso sua necessidade seja momentânea, vale investir em um plano de maquininha de aluguel por este período. 

Mas fique atento e faça as contas anteriormente.

Outro dado importante que você precisa ter sobre o seu negócio é o fluxo de venda via cartão, ou seja, quantidade de transações realizadas.

Após coletar essas informações, se sua loja vender pouco no cartão, talvez compense investir numa máquina de custo mais barato, mesmo se sua taxa for maior, calcule o custo benefício.

A bateria e tipo de conexão (Wi-Fi ou Chip) também devem ser analisadas.

Pense que não somente a taxa cobrada fará diferença no seu lucro e faturamento sob a venda, mas também todo seu funcionamento, características do aparelho, quantidade de transações via cartão, etc.

Se quiser mais dicas para escolher a maquininha ideal para o seu negócio, que tal conferir nosso  ranking exclusivo antes de tomar sua decisão?

Bônus: como otimizar sua gestão financeira com a Confere?

O recebimento via cartões de crédito e débito é fundamental e agora o Nubank tem mais esse trunfo para atrair novos clientes.

Mas, pensando na realidade de um negócio, a gestão financeira conta também com outras etapas essenciais que merecem atenção.

Pensando nisso, nós separamos algumas das ferramentas que a Confere te oferece para o controle otimizado de suas finanças.

 

Recebimento de vendas parceladas

No contexto atual do mercado, os pagamentos com cartões são fundamentais para o crescimento das vendas.

Entretanto, ao contrário de um pagamento via boleto ou PIX, as compras parceladas estão sujeitas ao chargeback.

Basicamente, este é um processo de estorno, quando o titular de um cartão contesta uma compra junto ao seu banco.

Pensando no e-commerce, o chargeback se tornou um desafio para as lojas virtuais devido ao crescente número de fraudes, mas também pode ser causado por falhas na gestão da loja online.

E isso porque a solicitação de contestação de fatura pode ser causada por diversos fatores, como:

  • Falhas na entrega;
  • Informações incompatíveis entre o que está no site e o recebimento do cliente;
  • Falta de qualidade dos produtos;
  • Avarias;
  • Mal atendimento.

Dentro do ambiente de negócios brasileiro, uma venda pode ser cancelada em até 180 dias pelo cliente, gerando um gargalo, sobretudo, para o e-commerce.

O extenso prazo para o cancelamento de uma transação deixa as compras parceladas imprevisíveis - o período só passa a contar após a quitação da última parcela.

Este é um bom exemplo para mostrar a importância do acompanhamento contínuo e o controle detalhado do fluxo de caixa e de vendas parceladas.

Com as funcionalidades de conciliação da Confere, você reduz e muito os riscos de chargeback, melhorando o controle sobre cada forma de pagamento, incluindo as parceladas.

Faça conciliação de cartões

Um dos erros mais recorrentes no controle financeiro é a falta de acompanhamento das taxas cobradas pelas operadoras de cartão. 

Muitos lojistas desconhecem ou não controlam o valor das taxas das transações por bandeira e operadora e acabam correndo riscos financeiros.

Uma maneira de driblar isso é com a automação de processos. Este é um passo importante para deixar as operações da sua empresa mais eficientes.

As planilhas manuais, no geral, são muito complexas e podem acabar virando um obstáculo para a sustentabilidade financeira do seu negócio.

Já a conciliação de cartões automatizada permite um controle minucioso de cada operação de pagamento realizada via cartão de crédito ou débito.

Dessa forma, será possível acompanhar as taxas cobradas pelas operadoras com precisão, dando uma visão clara de todas as entradas e saídas de caixa.

A Confere Cartões disponibiliza uma ferramenta completa que sincroniza diariamente todos os dados das suas maquininhas.

Em um único lugar, é possível visualizar as informações de vendas com cartão de todas as suas máquinas e de todos os CNPJs.

Se você trabalha com uma, duas, três ou mais maquininhas, tudo bem! Nós centralizamos todas as informações de vendas na mesma plataforma.

Fora isso, pode-se cadastrar as taxas acordadas com cada operadora e automaticamente o sistema calcula se o valor aplicado está correto.

 

Fluxo de Caixa conectado às suas máquinas de cartão 

Nossa ferramenta de fluxo de caixa se conecta diretamente com todas as suas maquininhas de cartão, atualizando diariamente os dados de todas as vendas.

Você também pode cadastrar lançamentos e categorizar cada entrada e/ou saída de forma simples, de acordo com a empresa.

Além disso, é possível filtrar períodos específicos para fazer análise de seu caixa e visualizar o fluxo de vendas e despesas por semana ou mês.

Ou seja: por meio dela, o controle de vendas parceladas será muito mais minucioso e, o melhor, automatizado!

Veja outras vantagens dessa ferramenta inovadora:

  • Controle seu fluxo de caixa com categorias próprias do seu negócio;
  • Acompanhe vendas e despesas administrando contas a pagar e receber;
  • Tenha a sinalização de quando cada parcela de venda vai cair na sua conta;
  • Aproveite também um fluxo de caixa com cálculo automático dos principais indicadores financeiros;
  • Conte com a centralização dos dados de todas as suas vendas em qualquer meio de pagamento.

Acompanhar corretamente os principais indicadores do seu negócio faz parte do conjunto de práticas de um bom controle financeiro.

A Confere calcula automaticamente esses indicadores para você pela ferramenta de fluxo de caixa. 

Assim, você saberá os resultados com vendas, custos variáveis, despesas fixas, investimentos operacionais e entradas e saídas não-operacionais. Um controle de toda a sua área financeira de modo simples e efetivo. 

As vendas também aparecem detalhadas com data, descrição, forma de pagamento, bandeira, tipo, quantidade de parcelas e valor total. 

Isso facilita a verificação uma por uma quando esses valores forem recebidos.

Você ainda pode cadastrar todas as suas contas a pagar e alterar seu status para acompanhar de perto se sua empresa está arcando com suas obrigações financeiras.

Conclusão

Como vimos ao longo do texto, existem muitas instituições por trás das operações com cartões de crédito ou débito.

Saber a função de cada uma, assim como sua dinâmica, taxas cobradas, vantagens, benefícios e desvantagens é uma ótima maneira de se preparar para possíveis dores de cabeça.

Isso porque, caso ocorra algo no processo de transação em compras na sua empresa, você saberá onde ir buscar por ajuda, adiantando crises que poderiam demorar mais dias.

Em suma, neste artigo apresentamos as bandeiras de cartão, seu funcionamento, como as taxas dos cartões de crédito e débito são calculadas, e, a melhor parte, como fazer uma boa gestão financeira. Aplique este conhecimento no seu negócio para aumentar seu sucesso!

 

Esse artigo foi escrito por Beatriz Barros, Criadora de Conteúdo do Soluções Industriais e atualizado por João Barros.