Como calcular a margem de lucro da sua clínica odontológica

Por Miriam Barros

Precisamos falar sobre um assunto que todo profissional da odontologia deve saber: como calcular a margem de lucro e aumentar a rentabilidade mensal de sua clínica. 

Existem muitos pontos a serem levantados, um deles trata-se das taxas de facilidades de pagamentos que podem aumentar o lucro da sua clínica. Mas antes de falarmos sobre como obter lucro, é necessário saber como calculá-lo.  

Calcular a margem de lucro da sua clínica é um ponto fundamental, tanto para você alcançar bons resultados financeiros, quanto para a sua gestão de clínicas odontológicas. Vale ressaltar que você será remunerado adequadamente pelos seus serviços.

Muitos profissionais da odontologia, utilizam como referência algumas tabelas de convênios, tabelas de outros profissionais ou até mesmo tabelas de preços sugeridos, para definir os seus próprios preços. Entretanto, existe um pequeno problema nessas referências, elas não levam em consideração as características da sua prestação de serviço, acabam dificultando o seu cálculo de margem de lucro e, nós sabemos que isso interfere diretamente na gestão de clínicas odontológicas. 

Um exemplo disso é, um dentista que tem uma clínica odontológica por conta própria, tem custos totalmente diferentes de outro dentista que atende em consultórios alugados, uma dessas possibilidades de diferentes custos que necessitam ser considerados na hora de definir o preço. 

Existem muitos dentistas que, possuem a agenda completamente lotada, mas não têm os resultados financeiros que tanto esperam. Apesar dos muitos pacientes, o lucro recebido deles não é o suficiente para cobrir os custos da clínica, além de, pagar impostos e ainda assim gerar lucro. 

Nova call to action

Conheça 7 passos para fazer o cálculo de margem de lucro da sua clínica

Ao calcular o preço de sua hora na clínica, você consegue enxergar diversos problemas que muitas das vezes, podem passar despercebidos. Um exemplo disso é, você passa a identificar os convênios que dão muito prejuízo, identifica onde dá para cortar gastos e quanto poderiam dar de desconto sem interferir diretamente no seu lucro. 

Existem 7 passos, para você fazer corretamente o cálculo de margem de lucro, você até pode colocar isso em uma planilha, segue abaixo e veja quais são: 

 

1° Passo: tempo livre para prestação de serviços

Você, doutor(a), é um(a) prestador(a) de serviços, e dessa forma, você vende uma parcela do seu tempo para entregar os melhores resultados dos seus serviços para os seus pacientes. Sabendo disso, o primeiro passo a se tomar é, verificar quanto tempo se tem disponível para oferecer. Como fazer isso? Faça a soma de todo o tempo que você tem para realizar os seus serviços durante o mês.

Conclua o tempo que não utiliza como, pausas para o café, reuniões, contratempos de chegadas e saídas, entre outras atividades, feito isso, será mais fácil definir quantas horas produtivas terá no mês. 

 

2° Passo: coloque na ponta do lápis todos os gastos 

É preciso saber, quais são os gastos necessários para a manutenção da sua clínica ou consultório, além de ser uma estratégia de gestão de clínicas odontológicas é uma forma de calcular a sua margem de lucro de uma forma mais prática. É necessário somar tudo, até mesmo coisas de valor mais baixo: 

 

  • Conta de água;
  • Conta de luz;
  • Aluguel;
  • Salário dos colaboradores;
  • Compra de materiais;
  • Gastos com esporádicos e anuais;
  • IPTU;
  • 13° do salário dos colaboradores. 

 

Todos os gastos citados acima são fixos, ou seja, aqueles que não variam em relação à quantidade de pacientes atendidos, sendo assim, não é necessário incluir aqui os gastos com materiais de consumo, por exemplo. O seu pro-labore e também seu salário como profissional da saúde, deve ser informado como um gasto fixo. Afinal, esse valor é o que você deseja retirar todos os meses. 

Em relação aos gastos anuais, você deve somar tudo e dividir por 12, assim você irá saber o custo mensal. Sendo assim, some aos gastos mensais e divida pela quantidade de horas disponíveis, como já dito no passo anterior, assim você terá o resultado do custo da sua hora. Mas mesmo assim, ainda não é o preço! 

 

3° Passo: impostos 

Todos nós precisamos pagar impostos, dessa forma, esse gasto também fica incluso no valor gasto. O valor do imposto a ser pago é variável de acordo com a sua declaração, seja ela como pessoa física ou jurídica. A diferença entre elas é que, uma pessoa jurídica geralmente paga uma porcentagem menor de impostos, e pode ter variações em relação a estados. Já pessoas físicas tende a pagar uma porcentagem maior de impostos, dependendo de sua receita como profissional. 

 

4° Passo: margem de lucro 

Agora vamos à parte mais esperada: a margem de lucro! O lucro não é nada mais e nada menos, do que o retorno que você tem por acreditar e investir no seu negócio, um exemplo, você gasta cerca de 5 mil reais na manutenção mensal de sua clínica e recebe 12 mil reais por mês, seu lucro mensal é de 7 mil reais, ficou mais fácil de entender? 

Dentro da sua margem de lucro, também está inclusa a sua margem de negociação, ou seja, o desconto que você pode dar ao seu paciente. Se você optar por ceder um valor de desconto igual à sua margem de lucro, você não terá lucro sobre o atendimento. Já se você der um desconto um pouco maior que a sua margem de lucro, você irá gerar um prejuízo, portanto, o correto é aplicar um valor de desconto que ainda esteja dentro da sua margem de lucro, por exemplo: 

Você gastou 200 reais com os materiais que serão utilizados em uma consulta, o valor da consulta é 250 reais, sua margem de lucro passa a ser 50 reais, portanto, os descontos que você pode oferecer ao paciente devem ser inferior a esse valor. Lembrando, que os valores mencionados são apenas um exemplo, cada clínica tem um faturamento particular e, por isso, é importante levantar qual os valores de sua clínica, em particular.

 

5° Passo: quanto vale o preço da hora na clínica?

Um dos passos mais importantes é saber quanto vale o preço da hora na sua clínica, além de ser uma das estratégias de gestão de clínicas odontológicas, é o momento no qual juntamos todas as informações coletadas anteriormente, para calcular o valor que sua hora na clínica terá. Importante ter sempre em vista que o valor que vamos obter nessa conta é o valor mínimo que deve ser cobrado para cada hora de trabalho, sendo necessário sempre acrescentar um valor a mais, para assim gerar seu lucro.

O valor deve ser utilizado para comparar com procedimentos que levam em média 1 hora sem gastos com material de consumo. 

 

6° Passo: preços de procedimentos 

Uma dúvida constante de alguns dentistas é: como calcular o preço de um procedimento? Para fazer esse cálculo, é necessário ter em mente que, o mínimo a ser cobrado, deve ser equivalente ao tempo que ele requer, e o valor do material que será utilizado. 

E para fazer esse cálculo, basta você utilizar uma fórmula e calcular os gastos fixos e o gasto fixo proporcional ao tempo do procedimento, sendo assim, caso seja um procedimento de meia hora, será a metade do valor do gasto fixo por hora, somado ao custo do material utilizado no procedimento. 

Pode parecer complicado, ainda mais para quem está começando agora, mas sabemos que a gestão de clínicas odontológicas não é uma tarefa fácil, nem calcular a margem de lucro. Ao fazer essas contas você conseguirá identificar alguns problemas, a partir disso, será possível alcançar os resultados que tanto espera!

 

7° Passo: facilidades de pagamentos 

É muito importante que, o cliente encontre nas clínicas odontológicas facilidades de pagamentos. Sabemos que nem todos os procedimentos possuem um valor acessível, por conta disso, é muito vantajoso ao dentista, investir em formas de pagamentos que facilitam a aderência de planos e procedimentos odontológicos. 

Com a facilidade de pagamento, é possível aumentar e garantir que o lucro seja frequente. As máquinas que aceitam cartões de débito e crédito, são ótimas aliadas nesse momento, pois garantem um valor mais leve no bolso do paciente, mas também assegura que o profissional receba o determinado valor da parcela sem atrasos, isso provavelmente não aconteceria em parcelamentos pagos com dinheiro físico. É necessário incluir no cálculo de lucro até mesmo os serviços que foram parcelados. 

Chegamos ao fim do nosso manual, agora cabe a você aplicar os ensinamentos aqui contidos e em seguida ver como tudo fica muito mais fácil na hora de administrar sua clínica ou consultório, tão fácil que você até fará isso sorrindo! 

Nova call to action

Clínica Ideal

Conheça os canais do Clínica Ideal: Site, Facebook, Instagram e Youtube.  

Produtora de Conteúdo do Clínica Ideal  

Naymara Ribeiro