Comércio eletrônico: vantagens e desvantagens

Por Miriam Barros

O comércio eletrônico traz oportunidades para quem busca ganhar uma renda extra com flexibilidade na jornada de trabalho e para empresas que desejam expandir seus negócios e para pequenos empreendedores que não possuem investimento inicial.

Com os dados de crescimento recentes, não há dúvidas que as vendas pela internet são um ótimo meio para alcançar qualquer desses aspectos. Entretanto, para isso, é preciso analisar algumas variáveis. 

No estímulo de colocar os planos em prática, muitos empreendedores digitais deixam de colocar na balança as vantagens e desvantagens que esse comércio pode proporcionar.

Começam a vender sem nenhum planejamento aumentam as chances de cometerem erros que poderiam ser evitados, além de deixar o negócio preparado diversos cenários.

Por isso, se você tem vontade de empreender no mundo digital investindo no comércio eletrônico, continue lendo este texto. Aqui, vamos falar um pouco sobre os pontos que devem ser avaliados no processo. Boa leitura!

Panorama do e-commerce no Brasil

As vendas online representam 17,9% do varejo brasileiro, transformando assim o mercado digital em um ambiente cheio de oportunidades de negócios. 

Numa rápida retrospectiva, 2021 foi um ano de grandes transformações para o comércio eletrônico. 

Em primeira instância, houve mudanças no perfil do consumidor e na forma de se comprar, elementos catalisadores que fizeram o e-commerce brasileiro bater recordes.

Já em 2019, o crescimento deste mercado no Brasil apresentava um horizonte cheio de potencial, e as vendas online tiveram um faturamento de R$ 61,9 bilhões naquele ano.

Em 2020, o mercado digital fechou com um índice de 73,88% de crescimento. 

Outras pesquisas, por sua vez, preveem um faturamento de US$ 5,6 bilhões no comércio eletrônico do país nos próximos anos e crescimento estimado de 7,25% entre 2021 e 2025.

Projeta-se ainda uma receita aquecida de US$ 7,4 bilhões no fim deste período.

E o ano de 2021 fechou com um crescimento de 48% quando comparado a 2020.

Essas estatísticas mostram a transformação que o varejo está vivenciando e seu potencial para atrair clientes, aumentando as oportunidades de novos negócios na economia brasileira.

Quais são as vantagens de desvantagens do comércio eletrônico? 

Antes de colocar as suas estratégias de venda em prática, é fundamental entender o nicho de mercado que está explorando e observar a dinâmica do mundo digital. 

Na maioria das vezes, os empreendedores acreditam que determinada área oferece boas oportunidades de negócio.

Mas, na verdade, esse setor já apresenta uma concorrência acirrada e para abrir espaço para outras marcas, é preciso implementar boas estratégias. 

Nesse sentido, é fundamental realizar uma análise mais complexa dos segmentos de interesse, para identificar se eles guardam boas oportunidades de negócio para os empreendedores que apostam em inovação. 

Entretanto, tudo isso pode ser feito prestando um pouco mais de atenção nos pontos fracos e fortes das vendas online.

Por isso, separamos as vantagens e desvantagens do comércio eletrônico. Veja!

Vantagens 

Provavelmente você já deve ter ouvido sobre as vantagens do comércio eletrônico, não é mesmo? Mesmo assim, ainda vale ressaltar os pontos positivos. 

O primeiro ponto é a possibilidade de atender uma área geográfica maior.

Imagine uma loja física de placas de sinalização localizada em um bairro conhecido da cidade. 

Seus clientes serão os moradores do próprio bairro e, talvez, pessoas de regiões próximas que já ouviram falar sobre a qualidade dos seus materiais.

Contudo, no comércio digital, essa mesma loja pode atender às demandas do país e, quem sabe, de outros continentes. 

Outro aspecto positivo desse modelo de venda é em relação aos custos fixos.

Este, inclusive, é um dos maiores desafios no universo empreendedor: gastos com reformas, funcionários e aluguel, se não forem bem planejados, podem fazer com que empreender se torne algo inviável.

Com uma loja online, o empreendedor pode poupar boa parte desses gastos e investir em outras frentes relevantes como uma estratégia de marketing eficiente, por exemplo.

Além disso, ele tem acesso a todos os recursos capazes de otimizar a estruturação de uma loja online eficiente de modo gratuito.

Neste caso, você pode contar com uma plataforma de loja virtual robusta como a Confere, que dispõe de diversas ferramentas interessantes para quem deseja iniciar um negócio no comércio eletrônico.

Acesse esse artigo e confira mais algumas dicas de ferramentas gratuitas para o seu negócio online!

Dentro deste contexto, o baixo custo da abertura de uma loja online se reflete nos preços ofertados pelo comércio eletrônico, que, na maioria das vezes, são bem menores do que as lojas físicas.

Dessa forma, podemos resumir todas as vantagens que esse tipo de negócio pode proporcionar: 

  • Redução de custos; 
  • Direcionamento das ações por todo país;
  • Amplo horário de funcionamento (24 horas por dia);
  • Comodidade;
  • Plataformas de gestão gratuitas;
  • Preços competitivos. 

Desvantagens 

Não podemos negar que as lojas virtuais proporcionam maior comodidade ao consumidor. No entanto, a principal desvantagem do comércio eletrônico é justamente essa: a falta de contato do cliente com o produto. 

Ao fazer compras pela internet, o consumidor não consegue usar nada além da visão.

Ou seja, não pode tocar, sentir ou experimentar o produto que deseja comprar. E, geralmente, as lojas de roupas são as que mais sofrem com isso. 

Mas esse é um desafio superável. Basta a marca incluir descrições mais detalhadas para que o consumidor consiga visualizar o produto, como se fosse uma vitrine virtual.

Por isso, trabalhe com fotografias de qualidade e vídeos apresentando todos os ângulos dos produtos. Essa é uma ótima maneira de sanar possíveis dúvidas dos consumidores.

Além disso, é interessante adotar chats de atendimento online para fornecer soluções relevantes. 

Outro ponto que vale citar é a concorrência no comércio eletrônico, uma vez que uma loja de São Paulo concorre com outra do Rio de Janeiro, por exemplo.

Por isso, é fundamental analisar o nicho de mercado e buscar opções não tão competitivas. Fique atento aos seguintes pontos: 

  • Concorrência;
  • Não poder tocar ou experimentar o produto;
  • Não há contato direto com o vendedor;
  • Entrega mais demorada. 

Como começar a vender no comércio eletrônico?

Agora que você já sabe os pontos positivos e negativos do comércio eletrônico, vamos para a prática para entender como começar a vender online.

Primeiro, entenda que abrir uma loja online não é um processo muito diferente das lojas físicas, apesar das regulamentações do e-commerce diferenciarem-se em certos aspectos.

Sim, você ainda precisará de muito planejamento para ter sucesso e ganhar dinheiro de maneira segura e consistente na internet.

Por isso, etapas como as listadas abaixo são importantes e devem ser colocadas em prática:

  • O desenho de um plano de negócios estratégico, analisando a concorrência;
  • Ações para o fortalecimento da identidade visual e do branding da loja;
  • A gestão de estoque, logística e qualidade dos produtos; 
  • O plano de marketing do negócio e escolher canais de venda.

Em resumo, estas etapas como pilares te ajudarão a criar um negócio melhor estruturado e garantir a sua longevidade.

Em seguida, detalhamos mais passos e estratégias vendas online. Vamos lá?

 

Se adequando a Lei do E-commerce

O decreto federal Nº 7.962, de 15 de março de 2013, é a lei que regulamenta as atividades do comércio eletrônico.

Além disso, ela descreve quais informações e atividades necessárias para se ter um e-commerce no Brasil.

Para lhe ajudar, destacamos alguns pontos que são fundamentais que toda loja online precisa fornecer para funcionar de acordo com a legislação:

  • Clareza de informações;
  • Suporte ao cliente;
  • Direito de arrependimento;
  • Proibição de venda casada;
  • Proibição de propaganda enganosa;
  • Oferta de segurança ao consumidor;
  • Concorrência saudável.

A lei obriga ainda que informações como a razão social, o endereço físico, CNPJ, telefone, formulário de contato e e-mail estejam claros no site de sua loja. 

Além disso, na página de cada produto é primordial que todas as informações estejam descritas de modo esclarecedor. 

Assim, é preciso que estejam detalhadas as medidas e material de fabricação do produto, por exemplo.

Também precisam ser detalhadas as opções de pagamento (parcelamentos e juros) e os prazos de entrega. 

Por fim, na modalidade do comércio eletrônico, o cliente pode se arrepender em até sete dias após a entrega da compra. 

Desse modo, ele pode devolver o produto sem custo nenhum, sem apresentar nenhuma justificativa desde que este esteja em perfeito estado.

 

A importância do planejamento financeiro

E por falar em planejamento, é importante estruturar cada etapa do contexto financeiro de uma empresa, incluindo: 

  • Seu volume atual de entradas; 
  • O custo do negócio (saídas); 
  • Potenciais faturamentos e gastos;
  • Ticket-médio de compras no site. 

A partir disso, pode-se prever, por exemplo, quanto é preciso vender para manter a viabilidade econômica de um negócio ou mesmo estratégias para a redução de custos.

Deste modo, o gestor consegue elaborar ações que darão suporte às decisões tomadas no planejamento.

Para ser bom e eficiente, o planejamento financeiro deve ser contínuo, amplo, e nenhuma das operações essenciais da gestão financeira podem ser esquecidas.

Atente-se desde a precificação de produtos, até a gestão das contas a pagar e a receber.

 

A definição dos canais de venda

Neste tópico, queremos que você reflita quais canais de venda fazem sentido para o seu empreendimento em relação ao custo-benefício, manutenção e responsividade.

Nesta parte do planejamento, pontos como custo da plataforma, alcance, público, manutenção - tudo deve ser levado em consideração.

Por exemplo, uma loja no Facebook ou no Instagram não demanda a mesma energia de manutenção na criação de um site. 

Já as vendas em sites podem te dar mais independência do que em marketplaces

No final, pense, sobretudo, no perfil do seu cliente e vale a pena, inclusive, considerar uma estratégia multicanal para ter maior alcance. 

Na hora de investir em seu domínio, opte por plataformas que permitam que você personalize e tenha autonomia sobre sua loja virtual.

Enfim, existem vários caminhos para vender online em 2022 e você pode investir tanto em um único canal (como um domínio próprio) como em uma modelo omnichannel.

Algumas das principais opções que o comércio eletrônico oferece são:

A Confere SHOP, por exemplo, é uma plataforma gratuita com todos os recursos para a estruturação e otimização das vendas de seu e-commerce em poucos minutos!

Confira os benefícios que a Confere oferece para você:

Ficou interessado? Então aproveite para saber como começar uma loja online neste guia completo e conte com a Confere para vender com eficiência em 2022!

 

Relacionamento com o cliente

Como no ambiente online não há interação pessoal com vendedores, é indispensável garantir um atendimento impecável.

Sendo assim, invista em canais em que seus clientes possam solicitar reembolsos, trocas ou emitir feedbacks de forma prática e dinâmica.

Assim sendo, esteja disponível para se conectar com os leads via chat no comércio eletrônico, mensagens diretas, site, e-mail, telefone e por aí vai. 

 

Não se esqueça das ferramentas de gestão

Ao gerir uma loja no ambiente virtual é importante ter o auxílio ferramentas que facilitem a administração do e-commerce.

Os sistemas de gestão, por exemplo, são softwares inteligentes que automatizam os processos ao máximo e facilitam as atividades diárias.

Alguns benefícios que você pode usufruir ao usar um sistema como esse são: 

  • Aumento da produtividade;
  • Mais segurança para a empresa
  • Satisfação dos clientes;
  • Ganhos sustentáveis;
  • Controle de estoque, vendas e fluxo de caixa eficientes e automatizados;
  • Integração setorial.

Outra vantagem de ter uma ferramenta de gestão é a facilidade para consultar dados e ações registradas, permitindo o monitoramento de tudo o que acontece.

Isso potencializa a tomada de decisões pelos gestores, que terão embasamento para direcionar o futuro da empresa.

Faça um plano de marketing

Mas não basta existir no mundo online, você precisa ser conhecido e encontrado pelo público que seus produtos são direcionados.

Uma boa estratégia de marketing pode ser o diferencial no comércio eletrônico, o fazendo chegar mais longe e atingir mais vendas. 

E essa estratégia pode incluir:

  • Segmentação de clientes para atendimento personalizado via e-mail e obtenção de dados sobre os principais consumidores;
  • Marketing de conteúdo como ponte para os clientes conhecerem os produtos que você tem disponíveis;
  • Fidelização através de cupons de desconto, sorteios e promoções;
  • Ações personalizadas para o aumento das vendas online;

Investir em mídias pagas pela internet, seja em redes sociais ou no Google

Conclusão: o planejamento é tudo para o sucesso no comércio eletrônico

Aos empreendedores que desejam investir no comércio eletrônico, vale ressaltar para que fiquem atentos aos obstáculos que podem surgir com a internet.

É fundamental analisar os problemas que podem atingir os seus negócios, em especial os de compra e venda.

Deste modo, crie um planejamento consistente, que traga segurança para o seu empreendimento. 

Com isso, você conseguirá prever e gerenciar crises, além de saber a hora certa de implementar ações para alavancar suas vendas no comércio eletrônico!

 

Esse‌ ‌artigo‌ ‌foi‌ ‌escrito‌ ‌por‌ ‌Beatriz‌ ‌Barros,‌ ‌Criadora‌ ‌de‌ ‌Conteúdo‌ ‌do‌ ‌‌Soluções‌ ‌Industriais‌.‌