O que é Necessidade de Capital de Giro (NCG) e como calcular?

Por Miriam Barros

Já comentamos em nosso blog a importância do Capital de Giro para manter o funcionamento e a saúde financeira de uma empresa. Caso você queira aprofundar mais no assunto, é só visitar este artigo!

Ao abrir uma empresa, o início de suas atividades depende de dois tipos de investimento: o Ativo Fixo e o Capital de Giro.

O Ativo Fixo representa o montante que será utilizado na compra de equipamentos, máquinas, espaços, enfim: tudo o que a empresa precisa para iniciar seu fluxo e manter seu funcionamento.

Já o Capital de Giro representa um montante reserva que é utilizado de acordo com as necessidades financeiras da empresa.

Nesta publicação, vamos definir o que é a Necessidade de Capital de Giro e te ensinar como calcular este recurso! #ConfereAi

 

Nova call to action

 

O que é Necessidade de Capital de Giro?

Como comentamos anteriormente, o Capital de Giro representa os recursos que garantem a sobrevivência e pleno funcionamento de uma empresa dentro de um determinado período.

A Necessidade do Capital de Giro é, justamente, a representação dos valores que são necessários para que não falte Capital de Giro na empresa. Ou seja, a NCG é o valor mínimo que o negócio precisa ter em caixa para garantir que seus processos continuem funcionando.

Como calcular a NCG (Necessidade de Capital de Giro)

Um dos pré-requisitos para saber calcular o NCG é conhecer bem os Prazos Médios de Pagamento e Recebimento da empresa.

Prazos Médios de Pagamento representam o tempo entre a data da compra de recursos e o pagamento realizado ao fornecedor. Exemplo: Se a empresa compra matéria-prima e acorda um pagamento de duas vezes com o fornecedor, o prazo mégio de pagamento vai ser de 50% à vista + 50% em 30 dias.

Prazos Médios de Recebimento são os prazos referentes ao tempo entre a venda e o recebimento das mesmas. Exemplo: a empresa vende parcelado em 2x sem entrada. Seu prazo médio de recebimento vai ser de 50% em 30 dias + 50% em 60 dias.

Tendo o conhecimento destes dois fatores, basta aplicá-los na fórmula a seguir para calcular o NCG:

 

NCG = Prazos Médios de Reebimento - Prazos Médios de Pagamento

 

Em outras palavras, se os Prazos Médios de Pagamento da empresa com seus fornecedores forem maiores que os Prazos Médios de Recebimento entregue aos seus clientes, a Necessidade de Capital de Giro será, provavelmente, baixa.

Este quadro ilustra a Necessidade de Capital de Giro Positiva, também conhecida como "empresa financiada pelos clientes".

Caso o Prazo Médio de Recebimentos for maior que os Prazos Médios de Pagamento, a empresa estará realizando o pagamento de seus fornecedores antes mesmo de receber de seus clientes. Nesse cenário, a empresa precisa de um volume maior de Capital de Giro, seja ele proveniente de capital próprio (cedido por investidores e sócios) ou de terceiros (através de outras diversas fontes de financiamento).

Existe outra forma de analisar a Necessidade de Capital de Giro: a partir do Ativo e Passivo Circulante no Balanço Patrimonial da empresa.

O Ativo Circulante Operacional representa os direitos da empresa provenientes de atividades operacionais. Exemplo: estoque, clientes, adiantamentos a fornecedores, despesas operacionais que foram antecipadas etc.

Já o Passivo Circulante Operacional representa as obrigações que a empresa deve cumprir em relação às suas atividades operacionais, como: salário, duplicatas a pagar, ICMS a recolher etc.

A fórmula, neste caso, é:

 

NCG = Ativo Circulante Operacional - Passivo Circulante Operacional

 

A unidade utilizada no resultado da primeira fórmula é entregue em "dias". Já na segunda fórmula, temos a unidade em reais. Ou seja, neste caso, temos a visão da quantia necessária de Capital de Giro.

Podemos chegar à conclusão que os resultados dessas operações se completam. Os cálculos são importantes e o ideal seria que ambos fossem realizados, pois o primeiro nos entrega uma visão clara de qual é o tempo médio que a empresa fica com o dnheiro dos clientes antes de realizar o pagamento de seus fornecedores.

Já no segundo cálculo, vemos a representação dessa diferença de forma monetária, ou seja: sabemos qual a quantia que estará disponível em caixa para investimentos e aplicações (ou, nos piores casos, quanto vai faltar no caixa e qual a melhor forma de preencher a lacuna: empréstimos, antecipações etc).

planilha capital de giro

Qual a importância da gestão do Capital de Giro?

Os resultados destes cálculos podem, muitas vezes, assustar os gestores por acharem que estão trilhando o caminho errado do que os levaria para o crescimento próspero da empresa.

Porém, é necessário que os responsáveis por essa análise interpretem de forma adequada as necessidades de Capital de Giro e alinhem estas necessidades de acordo com a estratégia geral da empresa.

Por exemplo, caso o NCG seja positivo, isso significa que a empresa está com um grande montante de capital de giro e não precisa recorrer a outras fontes de recursos.

Caso o NCG seja negativo, existe um déficit de capital de giro, o que representa que uma parte desse montante é proveniente de terceiros. Isso resulta em despesas com pagamento de juros por este capital. Em algumas situações, isso pode representar um risco que está diretamente ligado ao negócio.

Portanto, a administração do Capital de Giro deve ser realizada de forma constante, a fim de manter o Fluxo de Caixa da empresa saudável.

Para tal, o conhecimento da necessidade de Capital de Giro representa uma avaliação do momento atual da empresa, com a finalidade de saber se falta ou sobra recursos financeiros, além de avaliar as consequências geradas por decisões que são tomadas em relação às compras e vendas internas.

Esses dados são necessários para que o negócio siga funcionando de forma saudável, principalmente quando se trata de empresas que atuam em ramos com margens mais baixas, sem poder financiar seus clientes.

Nova call to action