Como começar uma loja virtual? Guia completo!

Por Miriam Barros

Abrir um negócio online é a iniciativa perfeita para quem quer lucrar muito sem ter que trabalhar oito horas por dia para uma empresa. Para começar uma loja virtual que mudará a sua vida é preciso entender e seguir alguns passos essenciais para ter sucesso. 

Já está a tempos com a ideia de começar uma loja virtual, mas não sabe nem por onde começar? 

Veio ao lugar certo! As lojas virtuais são uma realidade na nossa vida e mesmo com a concorrência acirrada, você pode começar a sua agora mesmo e tornar um negócio de sucesso.

Como? Neste texto vamos explicar tudo! Diremos quais são todas as etapas essenciais para quem quer começar seu próprio negócio digital e as ferramentas necessárias para tornar seu sonho realidade. Confira!

Confere Shop loja online grátis

Porque você deve criar uma loja virtual?

Se você está em dúvidas se realmente deve abrir uma loja virtual, principalmente com tanta concorrência, vamos listar algumas vantagens desse formato e porque você deve ainda apostar nele.

A primeira vantagem, sem dúvidas, é o custo de abrir uma. Ao abrir sua loja virtual, você corta muitos custos e burocracias de uma loja física. Afinal, a loja física precisa de um espaço para funcionar, funcionários, pagamentos de taxas municipais, etc.

Além do custo menor, também é possível começar sua loja com pouco investimento e produtos, indo aumentando de acordo com o tempo e crescimento. Como as vendas não ficam limitadas a um lugar só, o crescimento é muito mais rápido.

Os custos com marketing e divulgação também podem ser menores se você souber usar as ferramentas certas. Hoje as redes sociais oferecem espaços exclusivos para lojas exporem seus produtos, como o Instagram Shopping (vamos falar disso mais à frente).

 

O que é preciso para começar uma loja virtual?

Antes de colocar sua loja no ar, é preciso dar atenção a algumas coisas para fazer tudo certo e não ter dor de cabeça no futuro.

Primeiro de tudo é o plano de negócios, que é onde você irá descrever todos os detalhes da sua loja, como os objetivos a serem alcançados e uma análise do mercado que você entrará.

Depois, é preciso também se preocupar em criar uma identidade visual que seja bonita e fácil de ser identificada. Você pode fazer contratando um designer ou com a ferramenta Canva, que possui algumas opções já prontas, onde só basta você ir e alterar.

Quanto você deve investir ao começar sua loja?

O investimento inicial depende de muitas variáveis. A primeira delas é a plataforma escolhida, que existem de todas as formas e preços diferentes. É uma escolha que deve ser feita com muito cuidado, já que onde toda sua operação estará concentrada.

É possível encontrar opções com custo muito baixo, como Wix, Duda e também pelo Wordpress, que vamos explorar melhor mais a frente. Ao fazer a escolha, fique de olho em algumas coisas:

  • A capacidade de tráfego mensal;
  • Como integrar opções de pagamento;
  • Segurança do site;
  • Opções de atendimento (comentários, chat, etc).

Sim, é melhor fazer um investimento inicial em uma plataforma 100% confiável para evitar problemas no futuro.

Ao escolher a ferramenta, você também deve comprar o domínio da loja, que deve ser curto e fácil de lembrar. Você pode comprar pelo Registros.br, por exemplo. Verifique se o nome também está disponível nas redes sociais.

Falando em redes sociais, também é preciso se preocupar como irá expor os produtos, não é mesmo? Invista também em boas fotos e uma montagem para trazer a experiência do produto para o cliente logo de cara.

Agora sobre preços e formas de pagamento, você decide! Mas calcule com calma para garantir uma boa margem de lucro para garantir um crescimento sustentável do seu negócio.

Porém, mais do que dinheiro, você também deve investir tempo e dedicação!

Como sair na frente da concorrência? Fazendo seu plano de negócio

Na internet, você concorre com milhares de outras lojas, o que parece algo bastante negativo para quem está começando, mas como dissemos acima, é preciso fazer um plano de negócio antes de começar e isso irá te ajudar a sair na frente da concorrência!

Não é incomum ver empreendedores com dificuldades nos primeiros meses de negócio por terem planejado corretamente. Por meio do plano de negócio, você terá todas as informações necessárias sobre seu nicho, produtos, serviços, clientes, concorrentes, fornecedores e principalmente, entender os pontos fortes e fracos da sua loja.

Vale reforçar que o plano de negócio é essencial tanto para quem está começando quanto para quem pretende expandir sua loja. E que seu negócio não ficará à prova de erros e riscos, mas com certeza ajudará a diminuir as incertezas sobre sua loja.

Outros benefícios do plano de negócio são:

  • Organiza todas as ideias sobre a sua nova loja;
  • Ajuda na expansão;
  • Apoia toda a organização e administração do negócio;
  • Facilita a comunicação entre parceiros e sócios;

Para montar seu plano de negócio, abra um documento no Word ou Google Docs e detalhe os seguintes pontos.

 

Sumário executivo

O sumário executivo dá uma visão geral sobre seu negócio e seus planos. Vem sempre em primeiro lugar, mas o recomendo é escrevê-lo por último (parece contraditório, mas vamos explicar).

Essa parte deve incluir:

  • Uma descrição completa da sua loja e a principal diferencial dela.
  • A missão do seu negócio;
  • Descrição do seu perfil como empreender;
  • Quais serão os produtos e os principais benefícios;
  • Quem é o público alvo da sua loja;
  • Investimento inicial.

 

Visão geral do negócio

Aqui, é detalhado mais sobre a proposta de valor da sua loja. Primeiro, é colocado qual a necessidade do mercado e como sua loja ajuda a resolver este problema, apresentando a solução encontrada.

Também é detalhado sobre o mercado e o cliente ideal. Se você tem uma loja de vestidos de noiva, por exemplo, não adianta ter como cliente ideal toda mulher que está noiva. É preciso especificar se são mulheres que procuram vestidos de luxo, vestidos mais baratos, etc.

É nessa parte que você também conhece mais sobre seus concorrentes. Pesquise e selecione seus principais concorrentes, como eles atuam no segmento, como divulgam os produtos, quem são os clientes etc. Se não conhece nenhum concorrente, abra o Google e vá pesquisando ou pergunte a conhecidos se conhecem lojas parecidas.

Procure principalmente por lacunas nos concorrentes. Veja no que eles estão falhando e como sua loja pode cobrir. Todo mundo tem pontos fortes e pontos fracos.

 

Plano de marketing

O marketing é o coração de todo negócio. Afinal, sem uma estratégia de marketing sólida, como gerar vendas no mundo virtual?

A primeira parte do seu plano de marketing e vendas é a declaração de posicionamento. Ou seja, como sua loja irá se apresentar para os clientes. É o preço mais baixo do mercado? Ou produtos premium, que não serão encontrados em qualquer loja? Ou que você oferece algo que seus concorrentes não tem?

Antes de definir seu posicionamento, tire um tempo para responder às seguintes perguntas:

  • Quais são os benefícios que sua loja possui e seus concorrentes não?
  • Quais são as principais necessidades e desejos dos seus potenciais clientes?
  • Como seus concorrentes se posicionam?
  • Porque o potencial cliente deve escolher você e não a outra loja?

Com essas perguntas respondidas, agora é hora de colocar seu posicionamento em todos os lugares possíveis: no seu e-commerce e nas redes sociais.

 

Plano de vendas e promoção da sua loja

Com o posicionamento resolvido, é hora de pensar em como vender seus produtos. Não basta colocar no e-commerce e esperar as vendas caírem do céu. Vender envolve muito mais que isso. Você precisa saber como e onde se comunicar com seus potenciais clientes.

E outra coisa importantíssima é definir os preços dos produtos, como já dissemos mais cedo. Calcule o preço que irá cobrir seus custos e que seja atrativo para o cliente final.

Recado importante: continue com a gente que vamos ensinar mais à frente como criar um plano de marketing completo para ajudar nas suas vendas!

Nova call to action

Tirando sua loja virtual do papel

Como dito já, é preciso definir o nome da sua loja e garantir que o domínio esteja disponível para ser utilizado. Recomendados o Registro.br, que possui valores acessíveis e registro oficial.

Outro passo importante antes de colocar a loja no ar é formalizá-la através da criação de um CNPJ para geração de notas fiscais para seus clientes. Para começar, você pode criar um MEI através do Portal do Empreendedor, com custo mensal de R$ 40. O MEI é válido para faturamento de até R$ 81.000,00 por ano.

Uma vez ultrapassado esse limite, é preciso alterar sua realidade jurídica. Para faturamentos superior à R$ 97.200,00 e inferior à R$ 360.000,00, você será enquadrado como microempresário.

Depois, é preciso definir a atividade da sua empresa com base na lista pré-definida da CNAE. Todo o processo de abertura de MEI é muito simples, mas caso precise abrir um CNPJ do Simples Nacional, é recomendado procurar ajuda de um contador.

Escolha seu nicho e público-alvo!

Primeiro de tudo, você já sabe qual nicho/setor irá atuar e qual público deseja conquistar?

Para começar uma loja online, você precisará ter o seu público-alvo bem definido. Sendo assim, antes mesmo de definir outros pontos reserve tempo para escolher em qual mercado sua loja atuará.

Uma boa dica para realizar essa tarefa é pensar com que público você tem afinidade. Por exemplo: se você entende muito de nutrição e atividades esportivas, que tal começar vendendo produtos nessa área?

Escolhendo o nicho, ficará muito mais fácil realizar a pesquisa do público-alvo. Através destes dados, você também irá entender quais produtos mais vendem e quais poderão ser os diferenciais da sua loja.

Ao definir o seu nicho, será possível adequar os seus produtos e a sua linguagem com mais precisão. Desse modo, você com certeza conseguirá atrair mais clientes, uma vez que eles se identificaram ainda mais com a sua loja e darão mais preferência para comprar em seu negócio.  

Escolha quais produtos serão vendidos na sua loja

Depois de definir qual o seu público-alvo, chegou o momento de determinar quais serão os produtos que farão parte da cartela de produtos da sua loja virtual. 

Com base na pesquisa de hábitos e comportamentos do seu nicho, analise quais são as mercadorias que têm maior potencial de venda em seu nicho.

Sendo assim, antes de iniciar com uma cartela muito variada de produtos, foque somente naqueles que têm alto potencial de venda. Desse modo, as chances de ficar com produto parado no estoque são muito menores. 

Além disso, não se esqueça nunca de, sempre que quiser incluir um novo item em sua cartela de vendas, pesquisar entre o público-alvo se realmente há demanda. Assim, sua loja com certeza será reconhecida com maior autoridade entre os seus clientes e você poderá expandir sua cartela de vendas de forma consciente e eficiente. 

Determine qual o investimento no seu negócio

Assim como todo negócio, para começar uma loja virtual é imprescindível determinar o investimento inicial no negócio. 

Para isso, devem ser incluídos gastos com abertura de CNPJ, taxas de cartão, infraestrutura da loja, etc.

Desse modo, ao abrir a sua loja, você não terá surpresas inesperadas e contrair dívidas logo no início da sua jornada de empreendimento. Por isso, entender como calcular o seu investimento inicial é primordial antes de iniciar quaisquer outras etapas. 

Comece montando uma planilha, separando nas seguintes categorias: investimento fixo, pré-operacional e capital de giro. Ao estimar quais gastos você terá em cada uma dessas categorias você entenderá qual será o investimento inicial aproximado da sua loja. 

O importante é lembrar que esse cálculo deve ser feito sempre com muito cuidado e não deve ser copiado de outras lojas, mesmo que essas sejam do mesmo segmento que o seu. 

Cada negócio é único e com certeza terá especificidades distintas de outras lojas, logo para que ele funcione é preciso ter cuidado com o seu investimento. 

Nova call to action

Escolha os seus fornecedores

Imagine o quão ruim seria encomendar uma quantidade grande de produtos, ter clientes esperando para comprar, mas não conseguir efetivar as vendas devido a demora de entrega dos fornecedores? 

Por isso escolher quais serão os seus fornecedores com cuidado é essencial para começar uma loja virtual com sucesso. 

Pesquise quem poderá atender a sua loja melhor, além disso entenda também quais são as condições de pagamento de cada fornecedor, os prazos de entrega e qual a sua reputação no mercado. 

Além disso, não deixe de verificar qual a qualidade do produto vendida por aquele fornecedor, pois após a compra os seus clientes avaliaram a sua loja também pela qualidade da sua mercadoria.

Outro ponto importante aqui também é não deixar verificar se o fornecedor oferece bom suporte para os seus clientes. Isso acontece porque de nada adianta você encomendar produtos de qualidade, receber um prazo de entrega e quando esse chegar não ter nenhuma resposta do seu fornecedor. 

Escolha entre marketplace e estrutura própria

Para as pessoas que vendem exclusivamente online, existem duas possibilidades. A primeira é a criação de uma estrutura própria de vendas e a segunda é o uso de plataformas para e-commerce. 

Para quem escolher ter uma estrutura própria de vendas há a possibilidade de começar a sua própria estrutura de vendas do zero. 

Ou seja, você não ficará refém da infraestrutura da plataforma e assim poderá definir o design da loja, além de decidir valores em taxas, formas de pagamento e estrutura do SAC. 

Porém, se você não se sente seguro ou não tem tempo para investir na criação de uma estrutura completa para a sua loja, uma ótima opção são as plataformas de e-commerce. 

Essas já apresentam todas as ferramentas mencionadas acima prontas e o vendedor somente precisa adicionar todas as informações. Apesar da vantagem, essas cobram taxas dos vendedores e limitam as formas de pagamento e entrega. 

Escolha em qual plataforma você venderá

Se você escolheu começar loja virtual em uma plataforma de e-commerce, nesse momento precisará analisar todas as opções disponíveis para definir qual a melhor para o seu negócio. Sendo assim, é preciso que a plataforma tenha os seguintes componentes para ser adequada: 

  • Ter um setor de organização das formas de pagamento e entrega;
  • Ter SAC 24 horas;
  • Permitir o cadastro e a inclusão de produtos;
  • Gerenciar estoque e preços;
  • Proteger as informações pessoais dos clientes e garantir a segurança no envio dessas informações.

Caso você queira personalizar a sua loja com mais ferramentas, ter atendimento mais personalizado e outras vantagens, vale a pena investir e criar sua conta em uma plataforma própria.

Caso não seja possível investir em uma estrutura paga, há (poucas) opções de plataformas gratuitas que oferecem suporte base para ter sucesso em seu negócio.

Uma das opções é a Confere Shop, onde você consegue montar sua loja online em apenas 3 minutos e de graça. Ou seja, sem mensalidades! Além disso, você tem a opção de integrar sua loja virtual com Instagram, Google e Facebook, o que é essencial para divulgar seus produtos nessas plataformas.

É bem simples: você cadastra seus produtos em categorias variadas, pode também montar kits promocionais e ações para sua loja. O próximo passo é configurar o frete e envio, onde você terá várias opções e agora só montar sua lojinha e vender em todos os lugares que quiser.

Conheça mais sobre a Confere Shop e comece já sua loja virtual!

Analise seus concorrentes

Não basta somente analisar o seu público-alvo e entender quais são as suas necessidades. É preciso também avaliar quais são as lojas que são concorrentes para o seu negócio. Desse modo, você entenderá quais são os pontos fortes e os que podem ser melhorados em seu negócio a partir da concorrência de mercado.

Aqui é importante dizer que não há necessidade de copiar o que os concorrentes estão fazendo. A pesquisa serve como base para entender o quanto a sua loja está adequada ao mercado que vende os mesmos produtos que você. 

Além disso, caso encontre algumas lojas que vendem o mesmo produto por um preço muito mais alto ou baixo não pense em subir ou abaixar os valores do seu sem estudos. 

É certo que um dos componentes que ajudam a definir os valores do seu produto é o valor de mercado, entretanto esse não deve ser o único e deve ser usado somente como parâmetro para que seja cobrado um valor justo do cliente final.  

Entenda qual a legislação para e-commerce 

Além de todas as etapas descritas acima, é essencial entender qual a legislação vigente para e-commerce no Brasil. Desse modo você poderá regularizar a sua empresa de forma adequada e assim não correr risco de pagar multas ou outras sanções. 

Para comércios que funcionam totalmente online, a Lei do E-commerce (Decreto 7.962/13) deve ser seguida. Ela obriga que informações como a razão social, o endereço físico, CNPJ, telefone, formulário de contato e e-mail estejam claros no site do e-commerce. 

Além disso, na página de cada produto é primordial que todas as informações estejam claras. 

Assim, é preciso que estejam detalhadas as medidas e material de fabricação do produto. Também precisam ser detalhadas as opções de pagamento (parcelamentos e juros) e os prazos de entrega. 

Por fim, na modalidade e-commerce, o cliente pode se arrepender em até sete dias após a entrega da compra. Desse modo, ele pode devolver o produto sem custo nenhum, sem apresentar nenhuma justificativa desde que o produto esteja em perfeito estado. 

New call-to-action

Cuidado com o visual. A primeira impressão é a que fica!

Já falamos aqui, mas não custa reforçar: todo cuidado é pouco quando se trata do visual da loja e de como irá expor os produtos. A primeira impressão é a que fica e o visual faz toda diferença para gerar vontade de comprar algo.

Por isso, quem empreende com e-commerce precisa sempre prestar atenção com a estética da sua loja, assumindo um pouco do cargo de diretor de arte para si. Pense também nas cores para criar um visual coeso e bonito.

Essa parte é essencial também para o marketing da sua loja. Afinal, você deve sempre se destacar da multidão, certo?

Criando um plano de marketing completo para sua loja virtual

Depois de deixar pronta toda a estrutura da sua loja virtual, chegou o momento de a tornar conhecida e lucrativa! Para isso você pode investir em marketing digital

Embora esse segmento do marketing seja muito difundido atualmente, ele ainda não é bem conhecido e utilizado pelas empresas que desejam marcar a sua presença online e assim adquirir mais clientes. 

Sendo assim, podemos dizer que o marketing digital é a divulgação de marcas e produtos realizada totalmente online. 

Ao contrário da publicidade tradicional, em que as empresas pagavam por espaço para anúncios e não conseguiam comunicar-se diretamente com os clientes, com esse segmento do marketing as empresas conseguem atingir efetivamente o seu público-alvo. 

Sendo assim, podemos citar como benefícios do os seguintes pontos:

  • Interatividade: é possível realizar campanhas e acompanhar em tempo real qual a sua reação por meio de comentários, número de curtidas e opiniões deixadas pelos seguidores;
  • Análise e mensuração: ao realizar campanhas de marketing online é possível a obtenção e análise de dados por meio do ROI (Retorno Sobre investimentos) e o CAC (Custo e Aquisição de Clientes).
  • Mais oportunidades: não importa qual o tamanho da empresa, com o Marketing Digital qualquer uma pode realizar campanhas de ótimo alcance.
  • Direcionamento: ao usar a internet para realizar campanhas é possível para a empresa direcionar a sua campanha especificamente para o seu público-alvo e assim a tornar mais efetiva. 

 

Como realizar estratégias de marketing digital para lojas virtuais?

Como foi dito anteriormente, todas as empresas, de todos os portes, podem realizar estratégias de marketing. Sendo assim, começar a investir em estratégias para tornar a sua loja conhecida é possível investir nas seguintes estratégias:

 

Inbound marketing

Sinônimo de marketing de atração, o inbound marketing refere-se à criação de uma estratégia em que o objetivo não é encontrar pessoas que podem comprar do seu negócio, ao contrário a estratégia busca fazer com que o público-alvo encontre o seu negócio.

A maneira mais comum de colocar em prática uma estratégia de inbound é através da nutrição de e-mail. Por exemplo: uma loja tem um pop-up exclusivo, onde oferece um desconto em troca do contato da pessoa. Ao se cadastrar para ganhar o desconto, a pessoa se torna um lead.

Esse leads vai receber conteúdos estratégicos da loja, incentivando ele a comprar pela primeira vez ou comprar mais vezes.

Ou seja, ele foi atraído por um desconto e se tornou um potencial comprador. Com essa estratégia, você consegue contatos mais qualificados para se tornarem clientes.

 

Marketing de conteúdo 

O marketing de conteúdo tem como objetivo fazer com que sua marca esteja presente no ponto certo da jornada de compra do seu cliente. 

Para isso, o objetivo é produzir conteúdo de qualidade para educar os internautas em relação às funcionalidades do seu produto, mesmo que ele não queira comprar no momento. Isso para que, quando ele se tornar cliente, lembre-se de sua loja. O marketing de conteúdo é normalmente realizado em blogs, e-mail e redes sociais.

Qual a importância dessa estratégia? Educar cada vez seus clientes e se tornar uma fonte confiável no seu nicho. Assim, quando alguém precisar do produto que você vende, irá se lembrar da sua loja.

 

SEO

O SEO é a estratégia para direcionar tráfego para a sua loja. É uma estratégia que traz resultados a médio/longo prazo, mas com resultados duradouros e poderosos. Muitos associam SEO a blog, mas é totalmente possível aproveitar essa estratégia para otimizar sua página inicial e as páginas de produtos.

A principal estratégia do SEO é a pesquisa de palavras-chaves. Você pode utilizar ferramentas gratuitas como Keyword Planner e Ubersuggest. Pesquise por palavras relacionadas ao seu nicho e produtos e utilize elas para adicionar nas suas páginas.

Algumas dicas para aproveitar o poder do SEO:

  • Crie títulos das suas páginas de acordo com as palavras-chaves selecionadas. A sua página principal deve ter a palavra-chave principal do seu negócio. Exemplo: “Noiva Especial - Aluguel de vestidos de noiva de luxo”;
  • Coloque boas descrições dos produtos internamente e externamente, também com palavras-chaves. (conhecida como meta descrição);
  • Otimize as imagens para que elas apareçam no Google Imagens;
  • Crie URLs amigáveis e curtas, para os mecanismos de buscas entenderem do que a página se trata.
  • Coloque avaliações de clientes, isso ajuda na construção de autoridade da sua loja.

Colaborações com Influenciadores

O marketing de influenciadores permite que você aproveite a relevância dessas pessoas para ajudar sua marca a crescer. Isso ajuda principalmente no início, quando você tem um público pequeno e deseja crescer de forma rápida.

De início, procure por influenciadores pequenos para fazer as parcerias, que costumam sair bem mais barato. Verifique também a taxa de engajamento desses influenciadores para não investir à toa.

 

Anúncios Pagos

Outra forma de crescimento mais rápida é através dos anúncios pagos. Embora exija um investimento alto, se bem feito, é algo que gera bastante retorno.

O Facebook (que também é o Instagram) é a maior fonte de receita para lojistas. Mas, para chamar atenção do público, é preciso ser bem criativo nos anúncios. Para pegar inspirações, utilize o Facebook Ad Library e Instagram for Business, que mostram anúncios de várias empresas.

A dica de ouro para lojas virtuais é fazer anúncios de remarketing, já que a grande maioria dos seus visitantes não se tornaram clientes. 

No Youtube, você encontra diversos tutoriais que explicam como fazer anúncios de remarketing e como instalar o Pixel do Facebook e do Google na sua loja!

 

Redes Sociais

Fazer marketing nas redes sociais não se resume a postar uma foto por dia e só. Cada plataforma possui um público específico, mas para lojas virtuais é recomendado se concentrar no Instagram, Facebook e Pinterest, que possuem características parecidas.

Para conseguir crescer de forma orgânica, anote as dicas abaixo:

  • Crie as contas comerciais ou transforme a conta atual em comercial. Isso dará acesso à ferramentas de insights, que mostrarão dados importantes sobre seu público e o comportamento deles;
  • Para o Facebook, o recomendado é postar 3 vezes por semana ou melhor ainda, 1 vez por dia.
  • No Pinterest, o recomendado é 3 vezes por dia. É importante apostar nessa rede, já que possui um poder de SEO importante, que ajuda a ranquear no Google. Vale a pena dedicar a estudar a fundo sobre o Pinterest!
  • No Instagram, o recomendado é postar no feed 1 vez por dia e apostar bastante em Stories, IGTV e Reels (principalmente este último). 

Para as redes sociais, o essencial é sempre ficar de olho nas novas funcionalidades, que ajudam para que mais pessoas encontrem sua loja e aproveitar esse espaço para educar os interessados.

Uma dessas ferramentas essenciais para quem tem uma loja virtual ou deseja começar é o Instagram Shopping, a famosa sacolinha do Instagram.

Quer descobrir todos os segredos para utilizar essa ferramenta com sucesso e ver sua loja virtual bombar? Confira neste artigo!

New call-to-action

Este texto foi escrito por Luiza Cristina Sousa.