O guia definitivo de Marketing Digital para quem tem loja online

Por Miriam Barros

Quando surgiu a internet, tudo ainda "era mato". As páginas da web eram super simples e não existia um canal de interação entre as empresas e os clientes.

Assim, a comunicação era unilateral: um lado emitia uma mensagem, o outro recebia e fim. Parava por aí. Eram usadas técnicas do Marketing Tradicional, como o que vemos na televisão, rádio, revistas e afins.

Hoje em dia, tudo mudou! Desde 2000, começou a ser construído o que conhecemos atualmente como Marketing Digital. O acesso a internet se tornou mais abrangente e, com isso, o número de usuários cresceu. E o que isso significa? Oportunidade para empresas, claro! Afinal, seu público agora pode ser encontrado na rede.

O Marketing Digital engloba diversas ferramentas, como as redes sociais, e-mail marketing e sites. Essas ferramentas permitem que as empresas se aproximem cada vez mais do seu público. Para isso, é necessário saber se comunicar bem!

É a partir do Marketing Digital que as marcas podem se fortalecer e se reinventar. Uma marca precisa ser humanizada, palpável e receptiva com seu público, como se estivesse recebendo os usuários em sua casa.

É com o Marketing Digital que as empresas conseguem se aprofundar em seu público e entendê-lo melhor.

Criar um bom relacionamento com o público faz com que você conquiste mais clientes, receba feedbacks, fidelize consumidores, aumente sua credibilidade e reconhecimento, gere oportunidade de vendas, se diferencie no mercado e aumente a rentabilidade do seu negócio!

Neste guia, você vai encontrar:

Confere Shop loja online grátis

A importância de um bom marketing para você vender online

Muitas empresas brasileiras já entenderam a importância do Marketing Digital. A crise gerada com a pandemia da Covid-19 forçou muitos empreendedores a se adaptarem ao universo virtual.

De acordo com uma pesquisa feita pela Resultados Digitais (Panorama PMEs), 70,9% das empresas entrevistadas afirmam que precisam melhorar seus processos de marketing e vendas. Ou seja, o processo de despertar para a importância do Marketing Digital está acontecendo!

Mas, afinal, por que o Marketing Digital é tão importante para o seu negócio?

As principais razões são: 

 

1. Marcar presença forte na internet

Afinal, praticamente todo mundo que acessa a internet usa o Google. Investir em marketing digital pode fazer sua empresa aparecer nos resultados de busca e ser encontrada por pessoas que estão distantes fisicamente do seu negócio.

Outro ponto importante é estar presente para clientes que buscam de fato sobre sua empresa. Você já deve ter passado pela experiência de buscar uma empresa na internet e não achar nada sobre ela. Frustrante né? Isso não pode acontecer com a sua!

Se o seu cliente buscar sua empresa e não encontrá-la na internet, ele provavelmente não vai entrar em contato com você e, de quebra, vai buscar um concorrente.

 

2. Construir um público qualificado

É importante saber quem são seus clientes. Isso é: entender seus hábitos, comportamentos, com o que trabalham. Tudo isso permite que você consiga se comunicar de forma mais personalizada com eles.

O Marketing digital te ajuda a construir uma audiência que vai estar interessada em, de fato, consumir seus produtos/serviços. Se não for de imediato, você pode investir em uma relação que vai se solidificando com o tempo.

O marketing digital permite esse contato próximo, de um para um. Assim, suas mensagens não precisam ser genéricas - elas podem ser mais segmentadas para nichos específicos!

 

3. Interagir com sua audiência no momento certo

Como comentamos, é possível construir um público certo e, de quebra, falar com ele no momento certo também.

Você pode segmentar seu público e construir uma comunicação para cada etapa da jornada que o seu futuro cliente está trilhando. São muitas ferramentas que você pode utilizar para monitorar os perfis dos visitantes do seu site!

Você já deve ter recebido campanhas de marcas ou produtos que não tinham nada a ver com o que você precisava no momento. Ou, até mesmo, receber propaganda de algo que você já tenha comprado. Estranho né?

Muitas vezes esses erros custam caro e, ao investir em Marketing Digital, você pode diminuir as chances de cometê-los!

 

4. Investir pouco para começar

Quase nada é de graça nessa vida, né? Até para acessar a internet, você precisa pagar. Mas, o que queremos afirmar nesse tópico é que existem ferramentas potentes com grande poder de segmentação e automação com custos acessíveis para quem está começando.

Se você colocar na ponta da caneta, os custos para fazer marketing offline quase sempre acabam sendo mais altos. Anunciar em rádio, TV, imprimir panfletos, investir em mídia externa custa muito caro. E o pior: é um investimento que não dá para mensurar, de fato, a eficácia dele.

No Marketing Digital, apesar de existir um custo, os investimentos são mínimos em comparação com o marketing offline, além de serem muito mais fáceis de analisar e metrificar.

 

5. Se destacar em relação aos concorrentes

O despertar para o marketing digital é recente para muitas empresas e, por isso, ainda dá tempo de você sair na frente de muitos concorrentes seus!

Empresas que estão começando ou em crescimento são as que mais podem se beneficiar com investimento em marketing digital no início de suas atividades.

Você pode investir na criação de bons conteúdos, materiais educativos e pontos que vão além da oferta do seu produto/serviço.

 

6. Mais consistência na análise de dados

Diferente do marketing offline, o marketing digital é super possível de ser analisado a partir de suas métricas. Através dele, você consegue realizar vários estudos sobre seu público, como gostos, preferências e comportamentos no geral.

Quando se trata de marketing offline, por exemplo, dificilmente você vai saber quantas pessoas seu flyer, outdoor ou sua propaganda em rádio/TV impactou de fato.

Já com e-mails e campanhas em redes, dá pra saber exatamente o alcance, quantidade de impressões, cliques em anúncios e detalhes sobre o público envolvido!


Nova call to action

Estratégia de comunicação da sua loja online: o que você precisa definir

Para criar uma boa estratégia de Marketing Digital voltada para a sua loja online, alguns pontos são importantes de serem analisados. 

Dar a devida importância para cada um desses tópicos te coloca à frente de muitos empreendedores que acabam por não ter o cuidado necessário para estruturar uma boa campanha digital!

 

Persona

Existem muitas empresas no mercado que trabalham com marketing e não sabem ao certo quem são os seus possíveis clientes.

Um estudo de persona é uma etapa primordial para criar uma campanha de sucesso. É assim que você consegue analisar quem é o cliente ideal para o seu negócio. Lembrando que pode existir mais de um grupo de pessoas ideal.

Algumas informações são necessárias para entender sua persona, como:

  • Quem são essas pessoas e como são suas rotinas
  • Quais seus principais objetivos e necessidades
  • Que problema enfrentam no dia a dia? 
  • Quais são suas objeções de compra?
  • Como a sua empresa pode ajudar a resolver o problema dessas pessoas?
  • Quais são os produtos e serviços ideais para isso?
  • Qual tom de voz você deve usar para falar com essas pessoas?
  • Em quais canais de comunicação elas estão mais presentes?
  • Qual tipo de conteúdo é o ideal para essas pessoas?
  • Como é a jornada de compra dessas pessoas?
  • O que esse público valoriza em uma empresa?

 

Estude palavras-chave

Uma boa campanha digital é aquela que permite que as pessoas te encontrem com facilidade na internet. Para isso acontecer, é necessário fazer um estudo de palavras-chave relacionadas ao seu negócio.

Conhecer sua persona nesse momento é necessário, justamente porque é com esse estudo que você vai saber os conteúdos que ela mais se interessa em consumir.

A partir disso, você pode pesquisar palavras-chave e encontrar os melhores termos para utilizar nas produções de seus conteúdos. Algumas ferramentas que te ajudam nessa análise são o SEMRush e o Google KeyWord Planner. Você também pode consultar o Google Trends para ver o volume de buscas para determinados termos.

 

Estude os canais de comunicação

Se você já possui um site, comece analisando esse canal: ele tem todas as informações necessárias para um desconhecido entender o que você vende, sua missão e valores de sua marca?

Existem descrições bem feitas de seus produtos/serviços? Se o usuário quiser entrar em contato, ele vai conseguir com facilidade? A experiência para o seu cliente é boa tanto em computador de mesa como em celular?

Além disso, como está sua presença nas redes sociais? Você possui uma loja virtual? Ela está conectada ao seu Facebook e Instagram? Quantos cliques o seu usuário precisa dar para finalizar uma compra com você? Sua comunicação nas redes está adequada?

Você possui um blog? Está escrevendo conteúdos ricos para pessoas que provavelmente se interessariam pela solução que você oferece?

É importante avaliar todos os espaços que sua marca ocupa e quais você deve passar a ocupar no futuro. Procure ter uma comunicação consistente em todos os canais e esteja onde o seu público mais frequenta!

 

Estude seus concorrentes

Esse é um detalhe que não pode faltar antes de você estruturar sua estratégia de Marketing Digital, pois podemos aprender muito com o que nossos concorrentes estão fazendo!

Reserve um tempo para ver quais são as empresas que estão se destacando no mercado e analise a forma como elas se comunicam com o seu público.

Escolha alguns concorrentes para acompanhar com frequência e fique por dentro do tipo de conteúdo que estão produzindo, o tom de voz utilizado, como interagem com seu público, quais ações parecem dar certo e quais parecem estar muito erradas.

A partir dessa análise você pode tanto se inspirar com conteúdos de concorrentes como também enxergar possibilidades de novas ações até então não realizadas.

 

Defina metas e objetivos

Aonde você quer chegar de fato? Sem um objetivo definido, não tem como saber se suas ações no marketing digital foram efetivas.

Para saber se você está tendo resultado, você precisa definir suas metas e em quanto tempo você pretende atingi-las. Serão metas semanais, mensais, semestrais...? Decida!

Com as metas definidas, você consegue saber quais são os indicadores-chaves de sucesso para saber se estão sendo alcançadas de fato. 

Quando chegar no fim do período de seu planejamento, analise e veja se suas ações fizeram sentido. É nessa hora que você vai descobrir onde acertou, onde errou e o que pode mudar!

Os diferentes tipos de mídia digital

Antes de tudo, o que é mídia? Bom, a primeira informação que você precisa ter é que existem duas principais categorias para as mídias: online e offline.

Por definição, mídia é um conjunto de diversos meios de comunicação que tem por finalidade transmitir informações e conteúdos diversos.

A internet transformou a forma como utilizamos a mídia, que para além dos meios tradicionais, passou a trazer discussões para as plataformas online, principalmente nas redes sociais.

Dentro do meio digital, encontramos três tipos de mídia: a mídia própria, a paga e a conquistada.

 

Mídia Paga

É o tipo de mídia que precisamos pagar para que nossos clientes vejam nosso anúncio. 

Investir em mídia paga pode fazer com que seu negócio se destaque em relação à concorrência, pois o investimento resulta em ganho de visibilidade e reconhecimento para a marca.

No marketing digital, são anúncios em banners, links patrocinados, mídia display, impulsionamento em mídias sociais, AD networks, campanhas de busca etc. Vamos falar mais sobre isso logo logo!

Em resumo, é o tipo de mídia em que a marca utiliza outro espaço para aumentar seu alcance e ganhar consumidores e prospects.

 

Mídia Própria

A mídia própria é tudo o que foi pensado e produzido pela sua marca. Para criar conteúdo próprio, é necessário levar em conta sua persona, público-alvo, seus concorrentes e sua missão e valores. Assim, você consegue se diferenciar e entregar exatamente o que o cliente espera.

Em mídias próprias, o ideal é gerar conteúdo que gere engajamento da parte dos usuários: conteúdos que são compartilhados de forma quase que natural. Sua audiência faz a publicidade da sua marca!

Algumas mídias próprias são: blog, site oficial, perfil nas redes sociais, landing pages, aplicativo mobile etc.

 

Mídia Conquistada

Também conhecida como 'mídia orgânica', esse tipo de mídia é a possibilidade de sua marca receber muito engajamento (compartilhamentos, curtidas, comentários) nas redes sociais de forma "gratuita".

Essa mídia é gerada de forma natural e acaba por despertar nos consumidores o desejo de compartilhar seus conteúdos!

Ela acaba sendo o resultado do seu esforço ao construir uma boa comunicação da sua marca, seja sobre seu produto como também sobre conteúdos que seu público-alvo pode se interessar em espalhar por aí.

Alguns exemplos de mídia conquistada são: reviews de produtos/serviços, reviews da sua loja online, imprensa, menções de produtos/marcas, buzz nas mídias sociais etc.

É importante deixar claro que um tipo de mídia não anula o outro. Na verdade, o mais comum é que elas conversem entre si! 

Por exemplo: se você tem uma loja de roupas, você também pode possuir um blog que traz dicas de combinação de looks, artigos sobre o que usar em cada estação do ano, combinações de cores etc.

Uma influencer iniciante quer gravar um vídeo com dicas sobre o que usar em cada estação, então faz uma pesquisa no Google e acaba caindo em seu blog. (Mídia própria)

Após ler o artigo, ela volta a navegar nas redes sociais e é impactada por um anúncio pago da sua marca, oferecendo justamente um desconto promocional para um kit de peças da estação. (Mídia paga)

A influencer decide entrar no perfil da sua marca nas redes sociais e vê comentários positivos na sua loja online. (Mídia conquistada) Por fim, acaba comprando na sua loja e pode se transformar em mais uma mídia conquistada, pois vai gravar o vídeo com seus produtos!

Como montar um funil de conteúdo e vendas

O funil de vendas é um modelo estratégico que vai mostrar toda a jornada do seu cliente, desde o primeiro contato com a marca até a venda de fato.

Cada etapa é formada por um conjunto de gatilhos que tem como objetivo dar suporte à jornada de compra de sua persona.

Vamos detalhar cada parte do funil, que é constituído por:

  • VISITANTES
  • LEADS
  • OPORTUNIDADES
  • VENDAS / CLIENTES

Funil de marketing

Fonte: Conecta plataforma

Topo do funil: aprendizado e descoberta

Esse é o momento em que os visitantes descobrem que têm alguma necessidade ou problema para ser resolvido. Até então, eles não têm tanta informação sobre isso e, portanto, essa etapa é um momento de despertar de consciência.

O seu papel nesse momento é educar esse visitante com conteúdos ricos, infográficos, e-books, enfim, materiais que serão úteis para que ele compreenda cada vez mais as possíveis soluções para sua necessidade. Em troca desses materiais, você deve pedir alguma ponte de contato com esse visitante: ao fornecer nome e e-mail, pelo menos, ele passa a ser um Lead e avança em seu funil de vendas.

 

Meio do funil: reconhecimento do problema e consideração da solução

Nesse momento você está lidando com seus leads. Eles já sabem que tem um problema e querem resolvê-lo, só que ainda não sabem exatamente como fazer isso. Seu papel, agora, é ajudar essas pessoas com dicas. 

Não é hora, ainda, de vender sua solução a qualquer custo. Você deve, antes de tudo, fazer com que essas pessoas amadureçam suas ideias. A partir daí, é possível qualificar os leads, deixando eles cada vez mais aquecidos para finalmente avançar no funil.

 

Fundo do funil: decisão de compra

Chegam aqui os leads mais qualificados que acabam de se transformar em oportunidade! Essas pessoas estão prontas para conversar com seu time de vendas, prontas para fechar negócio. Já sabem que tem um problema e já sabem que precisam de uma solução. É aí que você entra em cena!

Você já estava construindo uma relação com essas pessoas e a confiança só tende a aumentar quando você entrega exatamente o que essa pessoa busca.

Afinal, você já se tornou referência no assunto que diz respeito ao problema dela, agora é hora de mostrar que a sua solução é a melhor de todas.

O funil termina quando as oportunidades realizam a compra e se transformam em clientes.

 

Jornada de compra feat. Funil de vendas

A jornada de compra representa justamente os passos que o cliente percorre até a compra de um determinado produto/serviço.

Assim, temos:

 

Etapa 1: Aprendizado e descoberta

Seu futuro cliente não sabe muito bem que tem um problema, por isso você deve despertar o interesse dele com algum assunto que o faça perceber isso.

 

Etapa 2: Reconhecimento do problema

Ele se identificou com o que você apresentou! Agora, começou a pesquisar mais sobre esse problema e suas possíveis soluções.

 

Etapa 3: Consideração da solução

Ele já conhece algumas soluções e está avaliando as alternativas. É interessante, nesse momento, criar um senso de urgência no consumidor.

 

Etapa 4: Decisão de compra

Está decidido! O consumidor está avaliando as opções disponíveis para saber qual ele quer escolher. Nessa etapa, saia na frente dos concorrentes e diferencie seu produto/serviço dos demais.

Construindo o seu funil de vendas

#1 Mapeie a jornada de compras

Identifique qual a jornada de compra feita pelas personas do seu negócio. Faça isso por meio de pesquisa com o maior número possível de potenciais clientes para entender o que eles buscam encontrar ao longo da jornada

 

#2 Defina os marcos de cada etapa

Em que momento o seu lead vai descobrir que precisa de uma solução para o problema dele? 

Como você pode garantir que ele chegue até esse estágio?

Após o mapeamento da jornada, é necessário responder essas perguntas para que a jornada de compra e o processo de vendas tenham os mesmos marcos de virada de estágio.

 

#3 Defina as etapas do funil

As etapas do funil devem ser desenhadas de forma a dar suporte à jornada de compra. Você deve entregar todo o valor necessário para que o futuro cliente avance no funil.

Você deve observar quais são os gatilhos claros que fazem com que as pessoas avancem nas etapas de compra. Assim, você consegue fazer com que suas etapas atinjam da mesma forma diferentes pessoas e torna o seu funil mais previsível.

Em geral, as etapas são as que citamos anteriormente: Visitantes | Leads | Oportunidade | Vendas (Clientes).

 

#4 Gerencie seu funil de vendas

Você já deve estar pensando: como vou ter controle de tudo isso? São muitas etapas, muitos grupos de pessoas diferentes!

Calma, respira. Felizmente, hoje em dia podemos contar com diversas ferramentas de gestão de funil de vendas!

Essas ferramentas são os famosos CRM - programas que te ajudam a organizar seu processo comercial. Além de registrar suas interações com contatos, elas criam lembretes para seu time fazer follow-up e tudo fica centralizado em um só lugar!

Você pode criar regras diferentes para cada etapa do funil e trabalhar em conteúdos diversos para cada momento da jornada de compra do seu público.

Primeiro, você deve fazer todo o mapeamento que comentamos anteriormente para, em seguida, montar todo o seu processo dentro de uma ferramenta que vai te ajudar nesse gerenciamento.

Redes sociais: como marcar presença e captar clientes

Algumas tarefas super importantes para quem vende pelas redes sociais são: criar conteúdos relevantes, interagir com seu público, tirar todas as dúvidas dos usuários e ser bem consistente em todas as plataformas que sua marca estiver!

Com o passar do tempo, usar redes sociais para vender se tornou necessário para quem vende online no Brasil. Isso porque 43% dos consumidores usam esses canais para fazerem compras!

A mentalidade dos consumidores está mudando cada vez mais e se adaptando ao universo digital, principalmente após conhecermos o que é, de fato, uma pandemia global.

Por isso, aqui vão algumas dicas importantes sobre o uso de redes sociais. Se liga nos principais pontos das redes mais usadas no Brasil!

 

YouTube

Você sabia que o YouTube é a rede mais usada no Brasil? Muita gente não sabe disso e acaba ignorando um pouco o YouTube, porque "fazer vídeos costuma dar mais trabalho". Pois bem, se for o seu caso, é hora de mudar isso!

  • Crie um canal no YouTube para a sua marca. É importante que sua identidade visual seja bem definida e que esteja consistente com todas as suas redes. Não sabe editar vídeos? Tire um tempinho para fazer algumas pesquisas na internet, têm muitas aulas disponíveis para você aprender o básico de edição! Demos dicas de algumas ferramentas ainda nessa publicação, siga lendo!
  • Explore diferentes pautas no seu canal. Pode falar sobre a história da sua empresa, cases de sucesso, novidades que sua marca está lançando, depoimentos de clientes, dicas sobre o segmento que você atua etc.
  • Cuide do SEO dos seus vídeos otimizando seus títulos e descrições para que, quando um usuário busque assuntos relacionados ao universo da sua marca, possa te achar tanto no YouTube quanto no Google!
  • Acompanhe as métricas que o próprio YouTube disponibiliza. Ele tem uma ferramenta de insights que mostra muitos dados importantes, como o tempo médio que seus vídeos são assistidos, alcance, visualizações e mais.
  • Crie capas para os seus vídeos, assim, os usuários já sabem do que se trata ele antes mesmo de clicarem para assistir. Às vezes uma boa capa acaba sendo a cereja do bolo para ganhar uma visualização!

 

Facebook

Muitos acham que o Facebook caiu em desuso e foi abandonado, mas isso não é verdade. Além de ser uma das redes mais utilizadas pelos brasileiros, uma coisa que ganhou grande espaço na rede foram os grupos, pois existe grupo sobre TUDO e você pode fazer parte de vários que tem a ver com a sua marca. 

  • Integre a sua loja online com o Facebook! Através de ferramentas como gerenciador de negócios e de comércio, você pode conectar sua loja com o Facebook e com o Instagram. Inclusive, fica a dica: só assim você vai conseguir conectar o seu catálogo de produtos no Instagram Shopping, tá? Assista o vídeo que gravamos ensinando o passo a passo sobre como conectar à sacolinha!
  • Explore o Facebook Ads, porque está cada vez mais difícil conseguir alcance orgânico na plataforma. Impulsionar publicações passou a fazer parte de quem deseja ganhar espaço na rede! 
  • Capriche nas informações sobre sua marca. Deixe que o seu cliente encontre com facilidade dados para entrar em contato com você e, de preferência, deixe um botão no topo da página que chame o usuário para a ação que for melhor para o seu negócio (Ligar agora? Enviar mensagem? Você que manda!)

 

WhatsApp

O WhatsApp Business é uma ferramenta incrível para quem quer estreitar laços com clientes e entregar a melhor experiência de atendimento para eles! É a versão para negócios do WhatsApp e permite que você organize bem direitinho todas as suas interações.

  • Organize os dados da sua empresa: Em “Ferramentas comerciais”: ajuste os dados da sua empresa, pois é o que seu cliente irá ver!
  • Use saudações automáticas e economize tempo: crie mensagem de saudação automática: isso cria uma conexão instantânea com os clientes que lhe mandaram mensagens. Pense em perguntas sobre alguns cenários que podem otimizar seu tempo, como “qual o seu nome e como posso ajudá-lo”?
  • Crie respostas rápidas: Crie respostas rápidas para interações que acontecem com frequência. Isso também vai otimizar seu tempo! Para usá-las, você só precisa apertar em “/Entrega” ou “/Devolução” e a resposta já aparecerá.
  • Organize seus contatos com etiquetas: Crie etiquetas: use e abuse das etiquetas para marcar todas as suas mensagens e categorizá-las. Exemplo: etiquetas azuis são clientes, etiquetas laranjas são dúvidas, vermelhas são reclamações e por aí vai.

 

Instagram

Cada vez mais o Instagram se torna um espaço muito propício para que clientes se encantam com produtos e finalize a compra ali mesmo, de forma simples e rápida! O Instagram Shopping chegou pra ficar e é um recurso que você não pode deixar de investir, caso tenha uma loja online!

  • Conecte à sacolinha do Instagram: Um belo catálogo de produtos em que o usuário finaliza compra com poucos toques na tela é o sonho de muitos lojistas. Por isso, não deixe de integrar seu catálogo ao Instagram Shopping (carinhosamente chamado por nós de sacolinha do Instagram). Para fazer isso acontecer, sua conta precisa ser comercial e precisa estar conectada à sua página do Facebook!
  • Tire fotos belíssimas: Isso mesmo! Nada de resolução baixa, foto desfocada... Queremos encher os olhos dos clientes, gerar aquele gatilho que faz ele sentir que simplesmente PRECISA do nosso produto. Capriche nas fotos, monte um cenário bonito e voilà!
  • Nome da conta: O nome do instagram deve ser o nome da sua empresa. De forma simples, direta. Se o usuário com nome da sua empresa já existir, tente criar um nome que ainda possua o nome da sua empresa, mas que seja simples.
  • Escrevendo legenda: Procure escrever legendas claras nas suas publicações. O que você espera que as pessoas façam com elas? Se for alguma ação, escreva claramente essa ação em formato de CTA (Call to action), exemplo: “Envie uma mensagem!”, ou “Visite nosso link na Bio”. Se seu intuito é gerar engajamento, faça perguntas e peça para que seus seguidores respondam nos comentários. Assim, seu post ganha mais interações!
  • Organize sua bio: Sua Bio deve ser direta: descreva o seu negócio e o seu diferencial, além de suas formas de entrega. Organize a bio em texto ou lista (bullets). Não esqueça de inserir um link da sua loja no fim!
  • Use ferramentas grátis: O link no fim da sua Bio também pode ser um Link.tree. Esse serviço permite que você crie um menu com links para diversos locais, e você pode incluir: contato pelo Whatsapp, o link da sua loja e outros links que você ache que devem estar lá! Outro serviço tão bom quanto é o Beacons, voltado para a mesma finalidade!
  • Use Hashtags: Utilize hashtags nas suas publicações, que tenham a ver com o seu negócio! Isso vai fazer com que seu conteúdo chegue às pessoas que seguem essas mesmas hashtags.
  • Organize seus destaques: Crie bons destaques! Faça uma capa padrão para eles e deixe em destaque as informações mais importantes do seu negócio. Você pode criar destaques que esclareçam as principais dúvidas dos seus clientes. Para criar as imagens, você pode utilizar o Canva!
  • Atenção ao formato das imagens: Salve suas imagens para publicação sempre em formato .PNG. Esse é o formato indicado para utilizar imagens em redes sociais sem perder tanto a qualidade delas.
  • Engaje seu público: Interaja com as pessoas! Responda todos os comentários e mensagens inbox, sempre com tom amigável e acolhedor.

Além das redes que comentamos acima, existem várias outras e poderíamos passar o dia inteiro falando delas: LinkedIn, Pinterest, Twitter… São muitas!

É importante lembrar que você não precisa necessariamente ocupar todas as redes sociais para ser visto. Você deve, antes de tudo, analisar em quais redes o seu público-alvo está mais presente e, aí sim, se dedicar a construir sua presença nelas.

Sabe aquele ditado popular que diz “quem muito quer, nada tem”? Pois é! Se você quer estar em todas as redes sociais sem ter um objetivo claro, você vai dedicar tempo e esforço a coisas que, às vezes, nem vão dar retorno para a sua empresa. Por isso, avalie antes de começar sua estratégia nas redes!

Tráfego orgânico e tráfego pago: como divulgar minha loja virtual na internet

Com a mudança notável que vemos no comportamento dos consumidores hoje em dia, já deixamos bem clara a importância de criar uma presença digital para a sua empresa. Ter uma loja online é um ótimo passo para isso, mas como fazer com que ela seja encontrada pelo seu público?

Certamente, estar entre os primeiros resultados de busca do Google é um sonho de muitos. Isso porque os consumidores estão cada vez mais imediatistas e dificilmente chegam a navegar pela segunda página e adiante.

Existem dois tipos de tráfego que farão com que a sua loja se posicione melhor nos mecanismos de busca: o tráfego orgânico e o tráfego pago.

Vamos falar sobre cada um deles, já deixando claro que ambos são de extrema importância para a relevância do seu negócio online! Por isso, trabalhe os dois tipos de tráfego sempre: evite focar apenas em um deles.

 

Tráfego orgânico

Essa é a forma gratuita de trazer visitas para a sua loja virtual. Para melhorar o tráfego orgânico do seu site, existem algumas técnicas que não podem ficar de fora da sua estratégia: o SEO (Search Engine Optimization). 

No bom português, as técnicas de SEO otimizam o seu site para ser encontrado por mecanismos de busca de forma orgânica, ou seja, gratuita. Ao trabalhar SEO na sua loja, você posiciona melhor o seu site quando os clientes buscarem por termos específicos.

Alguns pontos que melhoram o ranqueamento da sua loja virtual são:

  • Palavra-chave - pesquise sobre termos que os usuários estão buscando e que estão de acordo com o seu negócio. Alguns serviços bons para isso são: Google Trends, Frase.io, Also asked, Answer the public.
  • URL - Se as suas palavras-chave também estão presentes na URL (endereço) do seu site, melhor ainda. Evite usar acentuação e excesso de artigos na hora de escolher o link da sua página.
  • Qualidade do conteúdo - De nada adianta se dispor a criar conteúdo se ele não for de boa qualidade. Se você pretende falar de assuntos relacionados ao seu universo de atuação, faça isso de forma que você possa virar referência no assunto!
  • Velocidade do site - Muitos usuários podem acessar seu site por redes móveis um pouco mais lentas. Por isso, tente otimizar imagens e outros recursos do seu site.
  • Tempo de permanência - Seu site precisa ser consistente e de fácil interação, mas, se as informações não estiverem dispostas de forma clara e simples para o visitante, talvez ele perca pouquíssimos segundos na sua página antes de optar por outra.

Apesar de termos citado o SEO como técnica imprescindível para quem deseja melhorar seu tráfego orgânico, ele também é extremamente essencial para o tráfego pago. Ou seja, se tem uma lição que podemos tirar daqui é: ESTUDE E INVISTA EM SEO!

 

Tráfego pago

Você deve estar se perguntando "por que investir em tráfego pago, se eu consigo melhorar minha visibilidade de graça com técnicas de SEO?". Bom, realmente consegue, mas foi como comentamos ali em cima: não adianta focar em um ou outro. Ambos são extremamente importantes para quem deseja se destacar na internet. Se esse for seu desejo, continue lendo!

Se você não investe na presença da sua marca no mundo digital, você pode estar perdendo muitas oportunidades de venda e até, quem sabe, prejudicando o faturamento da sua empresa.

Você pode vender o melhor produto do mundo, com os melhores preços e ofertas, mas isso só será um diferencial se as pessoas conhecerem a sua loja online.

Como falamos no tópico anterior, é possível ganhar visibilidade de forma orgânica através de boas estratégias de conteúdo e do bom uso de técnicas de SEO, porém, essa é uma estratégia que leva tempo para trazer resultados palpáveis.

Quando falamos de tráfego pago, falamos de resultados quase que imediatos. É difícil acertar na mão logo na primeira tentativa, mas as oportunidades que o tráfego pago trazem para a sua empresa são inúmeras!

Entre as principais vantagens de se investir em tráfego pago, podemos citar algumas mais marcantes como:

  • Maior geração de leads
  • Maior exposição de conteúdos sobre sua marca
  • Ganho de tráfego, visibilidade e reconhecimento para sua marca
  • Resultados rápidos com investimentos flexíveis (e mais baratos do que mídia offline)
  • Métricas claras para acompanhamento e análise
  • Possibilidade de ajustes e melhorias em campanhas em andamento

Como pode ver, os ganhos são muitos! Mas os tipos de anúncio são muitos também, então analise quais são os formatos ideais para a sua loja.

Formatos de anúncio

Tanto o Google Ads quanto o Facebook Ads são bem versáteis para quem deseja anunciar na internet. Seus formatos são:

 

Google Ads

- Busca (search)

Esse tipo de anúncio é bem comum e praticamente qualquer usuário do Google já se deparou com ele. 

Comentamos anteriormente que o SEO ajuda o seu site a se posicionar melhor nas buscas do Google. Ainda assim, o próprio Google oferece a oportunidade de você pagar para estar nas primeiras posições de algumas buscas específicas. 

De acordo com o Google, os anúncios de busca (também conhecidos como links patrocinados) têm sua ordem de exibição em uma página através da classificação dada por um leilão. 

Os fatores responsáveis pela classificação são: qualidade do anúncio no momento do leilão (taxa de clique esperada, relevância e a experiência na página de destino), cenário da pesquisa (horário, localização, dispositivo, termos da pesquisa, além de outras características dos usuários), limites mínimos de classificação, impacto esperado, outros formatos de anúncio e, obviamente, o valor do lance.

DICA: Sempre use as palavras-chave mais relevantes para a sua marca nos títulos dos anúncios. Visualmente, elas terão mais destaque para o usuário.

Google ADS Search

Exemplo de anúncios de busca

 

Remarketing

A queridinha das estratégias de tráfego pago, bastante utilizada por sua eficiência. Sabe quando você visualiza um produto em algum site e de repente começa a receber muitos anúncios relacionados àquilo? Pois é, essa é a função do remarketing: atingir usuários que cruzaram com o seu conteúdo.

Quantas vezes você chegou a adicionar um item e abandonar um carrinho para, em seguida, ser perseguido por aquele item em todas as redes e sites que fosse? Efetivo, né?

É assim que pelo menos 30% dos seus visitantes retornam ao seu site. Se levarmos em conta que cerca de 95% dos usuários que entram em nosso site saem antes de interagir com ele, o remarketing é uma boa estratégia para não desperdiçar esse tráfego. 

As campanhas de remarketing funcionam através da instalação de uma tag ou pixel que pode ser adicionado ao seu site. Esses elementos vão capturar dados de seus visitantes e definir listas de remarketing para as páginas visitadas.

Essas campanhas são boas para oferecer cupons de desconto e frete grátis para os visitantes que passaram pelo seu site, pois assim eles vão se deparar com uma oferta ainda melhor de algo que eles já estavam interessados antes. Fica difícil resistir!

 

Rede de Display

Funciona como uma vitrine em outros sites que mostram anúncios gráficos da sua marca. Neste formato, são permitidos diversos tipos de campanhas (inclusive de remarketing) e a exibição dele pode ser feita com base no histórico de navegação dos usuários.

Para anunciar na Rede de Display, é preciso fazer imagens bem atrativas para atrair a atenção das pessoas que vão cruzar com seu anúncio.

DICA: Esses anúncios são ótimos para datas comerciais, pois têm um grande apelo visual. Não esqueça de incluir um CTA (call to action) no seu criativo (vamos falar dele logo logo)!

Google ADS Rede Display

Exemplos de anúncio em Rede Display

 

Google Shopping

A função Shopping do Google facilitou muito o processo de busca de usuários que buscam por produtos específicos. Certamente você já se deparou com anúncios do Google Shopping ao buscar por algum item.

Com cards bem diretos, ele mostra a foto do produto, nome, preço, onde está disponível e os reviews dados por pessoas que já compraram.

Ou seja, é praticamente a síntese do que o comprador precisa saber antes de decidir por um produto. Ao clicar no anúncio, o usuário é levado para a página de compra e em poucos cliques pode conseguir efetuar o pagamento, dependendo da plataforma que ele utilize.

Anunciar no Google Shopping é muito eficiente para quem vende produtos, mas lembre-se que a experiência de compra do cliente deve ser redondinha e bem simples, quando ele entrar na sua loja!

Para vender no Google Shopping é necessário se cadastrar no Google Merchant Center, ter um arquivo XML do catálogo de produtos da sua loja e vincular a loja com o Google Ads para a criação de campanhas. 

A Confere SHOP é uma plataforma que já possui integração com a API Google Merchant e oferece o XML de maneira muito simples para que você possa vender no Google Shopping sem burocracia!

Google Shopping

Exemplos de anúncio no Google Shopping

Facebook 

O Facebook se tornou um grande espaço para anunciantes ganharem destaque promovendo conteúdo na internet. Podemos dizer que é quase obrigatório, para qualquer e-commerce, estar no Facebook.

Por ser uma rede muito utilizada pelos brasileiros - e também por ser dona do Instagram, outra rede muito utilizada - sua base de dados é enorme e recheada de informações psicológicas, demográficas e comportamentais de seus usuários.

Isso faz com que os anúncios feitos na rede sejam bem assertivos no que diz respeito ao seu público, com boas taxas de conversão!

A cobrança no Facebook ADS é feita por CPC (Custo por Clique), CPM (Custo por Mil) e também por engajamento ou aquisição, tudo depende de qual campanha estiver sendo feita.

 

Instagram

O Instagram é a segunda rede social mais usada no Brasil e, como já comentamos anteriormente, faz parte do grupo Facebook.

Isso é ótimo, pois você pode montar campanhas no Facebook Business que vão ser veiculadas no Instagram também! Para isso, basta vincular a sua conta comercial do Instagram no Facebook.

Alguns recursos, como a sacolinha do Instagram, permitem que o processo de compra dos seus clientes se torne muito mais simples, muitas vezes podendo ser finalizados em poucos cliques.

Para saber mais como integrar a sua loja virtual com a sacolinha do Instagram, nós preparamos um artigo no nosso blog e também gravamos um vídeo super mastigado para você, é só dar o play:

 

Por ser uma rede super visual, alguns segmentos de lojas virtuais se dão super bem no Instagram (lojas de roupa, jóias, produtos holísticos, artesanais). É possível montar um feed super versátil e atrativo para que os clientes se encantem facilmente com o que você está oferecendo!

Você pode anunciar tanto no feed como nos stories. Recomendamos que sempre faça isso pelo Facebook Business, pois o próprio Instagram oferece uma forma de promoção de conteúdo dentro da plataforma, mas ela não chega a ser assertiva e trazer métricas valiosas como o Facebook Business faz. Por isso, sempre anuncie por ele!

A cobrança para anunciar no Instagram é feita por CPM (Custo por Mil) e CPC (Custo por clique). Existem diversos objetivos de campanha dentro do Facebook Business e você deve escolher a que mais faz sentido para o momento do seu anúncio.

Por exemplo, você quer ganhar mais alcance? Quer que um vídeo específico ganhe mais visualizações? Quer aumentar conversões em uma página? Avalie qual a melhor estratégia e siga em frente!

Gravamos na Confere uma live na qual ensinamos como anunciar no Facebook e Instagram ADS. Recomendamos que você assista, pois além de ter muitas dicas, nós montamos um anúncio do zero e mostramos cada etapa do processo!

 

YouTube

Os anúncios do YouTube são integrados com o Google Ads e, assim como funciona na plataforma, eles podem ser exibidos de diversas formas.

Para alcançar o público ideal, os conteúdos são entregues de acordo com os interesses dos criadores de conteúdos da rede quanto de quem está anunciando. Tudo isso é calculado pela mágica do algoritmo da rede!

Vale frisar que cada canal no YouTube personaliza da forma que desejar os tipos de anúncio que serão aceitos para exibição em seus vídeos. Alguns tipos de anúncio ou assuntos específicos podem, inclusive, ser bloqueados de algumas contas.

Os principais tipos de anúncio no YouTube são o TrueView, que aparece no início dos vídeos e tem duração de 15 segundos e pode ser ignorado pelo usuário, e o Non-skippable, que obriga o usuário assistir o anúncio até o fim.

A cobrança para anunciar no YouTube é feita por CPM (Custo por Mil), CPA (Custo por Aquisição) e CPC (Custo por Clique). Além disso, existe outra forma de cobrança no YouTube chamada CPV (Custo por Visualização).

Formas de cobranças para campanhas

Falamos desde sempre que anunciar na internet sai muito mais em conta do que arcar com os gastos de anunciar em mídias offline. Porém, para investir em tráfego pago, é importante entender como é feita a precificação desses anúncios. Você deve ter se perguntado ali em cima: CPC? CPM? CPA? Pois bem, reservamos um espaço pra te explicar direito o que cada uma dessas siglas significa.

 

CPC (Custo por clique)

A cobrança é feita sempre que clicarem no seu anúncio. É um orçamento de fácil administração e é bastante utilizado pra quem deseja ganhar mais tráfego.

Para calcular o CPC, a fórmula é: 

Custo total = CPC x Número de cliques

Se você está começando uma campanha com CPC, uma boa tática é deixar o valor do lance automático para que a plataforma encontre o valor ideal para você com o tempo (em média uma semana). 

Você também pode começar uma campanha com CPC alto e diminuir o valor com o passar do tempo, para ajustar de acordo com o desempenho dela. Ou, também, começar com um CPC baixo e aumentar aos poucos, medindo como a campanha se desenvolve.

 

CPM (Custo por Mil impressões)

Você é cobrado a cada mil impressões. As impressões são a quantidade de vezes que o seu anúncio foi exibido. Isso não significa que o usuário chegou a clicar nele.

Esse orçamento é ótimo para exposição de marca, mas acaba sendo um pouco mais caro do que CPC caso o objetivo seja venda direta.

Sua fórmula é:

Custo total = CPM x (Visualizações/1000)

 

CPA (Custo por Aquisição)

Essa cobrança só é feita quando o usuário realiza uma ação que você determinou em sua campanha. Pode ser uma venda finalizada, um formulário preenchido, isso fica a seu critério. O importante é frisar que você só paga quando esse evento ocorrer.

É um tipo de orçamento interessante para quem deseja aumentar número de leads. Porém, o valor que você investe nele está quase que diretamente ligado às posições que seu anúncio vai ocupar. Caso sejam valores muito baixos, ele perde posição e visibilidade.

No Google Ads é possível usar o Otimizador de Conversões para melhorar os resultados de alguma campanha que você percebeu que não anda tão bem.

Assim, você pode personalizar o tipo de lance no orçamento de CPA, entre três existentes:

  • O valor que você gostaria de pagar por CPA
  • O valor máximo que você pretende pagar por cada conversão
  • A % pela venda (comissão)

O cálculo do CPA é feito da seguinte forma:

CPA = Quantia total investida / Número de conversões

A importância de um bom CTA

Como falamos no tópico anterior, existem campanhas e estratégias de marketing que são focadas em conversões e vendas. Para saber como moldar uma boa estratégia, você precisa saber o que é um CTA.

CTA, ou call to action, traduzido para o bom português é uma "chamada para ação". Sabe aqueles botões que dizem "Saiba mais", "Compre agora", "Envie uma mensagem"? Pois bem, tudo isso é CTA.

Mas CTAs não são apenas botões: eles estão presentes em frases ou palavras que chamam o usuário para realizar uma ação específica, sejam em formato de texto, botão, ou o que for.

Estas chamadas para ação normalmente levam o usuário a páginas de captura de leads, vendas de produtos ou até mesmo, por que não, para a sua loja online!

Mas os CTAs não estão presentes apenas no momento de conversão para transformar leads em clientes.

Lembra quando falamos lá em cima sobre o funil de marketing? Os CTAs estão presentes em praticamente todas as etapas do funil, desde o momento de descoberta, em que o visitante não conhece a sua solução mas você convida ele (através de uma CTA) para aprofundar mais seus conhecimentos.

Nesse momento, o CTA pode fazer o visitante continuar sendo um visitante através de chamadas para outras páginas do blog, ou pode também convertê-lo em lead se a ação levá-lo a fazer o download de um e-book que fale mais sobre o tema que ele pesquisou, por exemplo.

Se em suas campanhas você usar um CTA que leve os usuários até a sua loja, sua chance de convertê-los em clientes aumenta!

Por isso é importante ter em mente que os CTAs fazem parte de qualquer estratégia de marketing digital que busque fazer com que os visitantes avancem no seu funil. Os CTAs vão indicar os próximos passos a serem dados por essas pessoas.

 

Como fazer um bom Call to action

É importante que todos os seus call to actions sejam claros e objetivos. Qual ação você deseja que o usuário tome, de fato? Deixe isso muito claro em sua mensagem.

É muito ruim quando clicamos em um CTA e o resultado do clique não condiz com as expectativas que foram criadas. Separamos algumas dicas que vão te fazer ter sucesso na hora de criar um:

 

Conheça o seu público

Saiba de onde vêm os visitantes do seu site. Como eles estão encontrando a sua loja? Entender de onde eles vêm é importante para saber como chamá-los para ação ideal.

 

Faça com que enxerguem o seu valor

Principalmente em suas estratégias de tráfego orgânico (textos de blog, conteúdos nas redes), utilize verbos de ação (de preferência imperativos, porém de forma amigável) para chamar os visitantes a tomarem uma ação. "Baixe este material totalmente gratuito", "Aproveite essa oferta", " Compre antes que acabe" são alguns exemplos.

 

Explore gatilhos mentais

Grande parte de nossas decisões são motivadas por influência emocional externa e o marketing adora agir nesse tipo de influência. Por isso, gatilhos mentais são bastante efetivos para serem explorados.

"Compre agora" (urgência), "Garanta a sua vaga" (urgência e escassez), "Aproveite esta oportunidade" (urgência e escassez), "Receba hoje" (urgência) são bons gatilhos que, muitas vezes, podem resultar em ações imediatas.

 

Explore as possibilidades da sua loja

Os gatilhos que comentamos acima podem ser utilizados para dar ênfase em promoções e ofertas que existem na sua loja.

Por exemplo, se você consegue oferecer frete grátis para compras acima de R$300 reais, deixe isso claro na sua call to action: "Compre R$300 ou mais e ganhe FRETE GRÁTIS", "Garanta seu FRETE GRÁTIS em compras acima de R$300".

O pós-venda importa: converse com sua base de clientes

Tão importante quanto conquistar novos clientes é manter um bom relacionamento com aqueles que já compraram com você. Por isso, precisamos falar de estratégias de pós-venda!

Conquistar um novo cliente custa cinco vezes mais do que fazer com que um cliente seja recorrente e volte a comprar da sua marca.

Quem disse isso não fui eu, mas o homem que é considerado o "pai do marketing", Philip Kotler. Por isso, é bom ficar por dentro de estratégias de pós-venda para saber como encantar seus clientes e transparecer valores únicos como compromisso e profissionalismo.

É através dessas estratégias que a sua empresa consegue construir relacionamentos duradouros, com clientes que certamente vão retornar à sua empresa ou vão indicá-la para pessoas conhecidas.

O principal objetivo do pós-venda é mostrar que existe um espaço seguro, de credibilidade e confiança que o seu cliente sempre pode contar.

Por exemplo, você sabia que 95% dos clientes insatisfeitos não reclamam de fato? A solução mais rápida para eles é simplesmente deixar de comprar na sua loja, optar pela concorrência e, de quebra, falar mal da própria experiência.

Já cerca de 70% dos clientes que reclamam e têm suas reclamações atendidas, costumam voltar a comprar com você. Se a sua empresa resolver com agilidade o problema do cliente, esse número pode chegar até 95%! 

Por isso, é muito importante definir a estratégia de resposta ao cliente. Aqui em nosso blog, publicamos um texto super completo que traz algumas técnicas interessantes sobre como facilitar o processo de atendimento ao cliente com mensagens rápidas, adaptadas para vários tipos de cenário!

Essas mensagens, além de automatizar o seu atendimento, ajudam o cliente a ter um retorno mais rápido e, consequentemente, ficar mais satisfeito.

Mas lembre-se: ele não deve sentir que está falando com um robô! Humanize o seu atendimento de forma que o cliente se sinta acolhido por sua empresa.

Outra forma de se aproximar dos clientes e humanizar a empresa é utilizar os stories do WhatsApp e Instagram a seu favor. Poste stories com processos internos da sua loja, seja separando pedidos, seja criando conteúdos para seus clientes, seja contando alguma novidade do seu site, enfim, as opções são muitas!

E por falar em novidades, é bom ter controle de sua base de clientes para enviar e-mails esporádicos contando novidades da sua loja, ofertas promocionais e ações que você está realizando.

E-mails também são ótimos para que você faça o cliente se sentir querido com datas especiais. Por exemplo, receber uma mensagem de feliz aniversário (junto, talvez, com um cupom de desconto) é uma ótima experiência para qualquer pessoa e demonstra que sua empresa se importa com seus clientes.

Ferramentas úteis para facilitar o marketing da sua loja virtual

Consigo prever que este tópico vai ser um dos seus preferidos! A internet está repleta de soluções que vão te ajudar a profissionalizar ainda mais o marketing digital da sua loja online! E o melhor de tudo: muitas delas são gratuitas. Então se liga nessas dicas de ouro e reserve um tempinho para conhecer cada uma dessas soluções:

 

Edição de imagem

A disputa por espaço e atenção na internet é acirrada, devido a quantidade de anunciantes, marcas e empresas que tentam marcar presença nela. Por isso, ter uma boa estética e trabalhar o visual de suas peças é sempre bem-vindo e pode ser seu diferencial em relação à concorrência.

 

Canva

O Canva é uma solução gratuita para quem deseja fazer belas composições gráficas sem entender praticamente nada de design.

Ele entrega templates pré-prontos para vários formatos, como apresentação, post para instagram (inclusive, você sabia que pode publicar no Instagram pelo navegador? Veja como!), logotipos, cartaz, currículos, stories do Instagram, documentos A4, convites, panfletos, infográficos e mais.

A quantidade de recursos é imensa e você também pode criar composições do zero, com elementos que o próprio Canva oferece. Alguns são gratuitos e outros fazem parte do plano PRO (eles vêm com marca d'água). 

É possível experimentar o plano PRO por 30 dias de forma gratuita, e ele inclui:

Mais de 100 milhões de fotos, vídeos e elementos premium, mais de 3 mil fontes premium, mais de 610 mil templates premium. Você pode usar o "Formato automágico", "Removedor de fundo" e "Animações premium". A ferramenta também oferece um Kit de marca, planejador de conteúdo, pastas adicionais e 100gb de armazenamento.

Tela de criação do Canva

Tela de criação do Canva

 

Lightroom

O Lightroom é uma solução dos pacotes Adobe voltada para edições de fotografias.

As soluções da Adobe são bastante conhecidas e bem posicionadas no mercado de design (Photoshop, Illustrator e InDesign são softwares bem utilizados).

O plano mais básico do Lightroom custa R$43/mês e dá acesso ao Lightroom, Adobe Spark (para criar imagens para redes sociais, vídeos e páginas da web), Adobe portfólio e 1TB de armazenamento na nuvem.

Caso queira adicionar mais armazenamento, o valor é de R$43/mês por terabyte. 

 

Figma

O Figma é uma solução para quem deseja explorar mais o universo do design gráfico e se assemelha muito ao Adobe XD. 

É um software super completo e que possui planos gratuitos e pagos. O plano gratuito já oferece ferramentas suficientes para você despertar o artista que existe em você!

No Figma, além de criar peças gráficas, é possível fazer protótipos navegáveis de alta fidelidade para quem deseja se aventurar mais na área.

Dashboard Figma

Dashboard do Figma

 

Inshot

O Inshot é uma solução ótima para edições simples de vídeo. Você consegue fazer cortes, mesclagens, ajustar velocidade da imagem, tudo de forma muito prática.

O app também oferece filtros e músicas de Vlog gratuitas! Você pode adicionar músicas e efeitos sonoros nos vídeos, além de poder inserir sua própria voz.

Seus vídeos podem ficar ainda mais bonitos com os stickers e textos animados que a biblioteca do inShot oferece.

O app é gratuito e ideal para vídeos para YouTube, Tik Tok, WhatsApp, Instagram.

Você também pode utilizar o inShot para editar fotos profissionais, com colagens, filtros, textos, emojis etc.

 

Agendamento de publicações

Além de cuidar bem da sua estética, é importante ter constância nas redes sociais! De nada adianta você publicar hoje e levar 20 dias para publicar outro post.

Você precisa ter constância para conseguir gerar engajamento dos seus usuários. Uma média de 3 publicações por semana é de bom tamanho - não tente fazer várias publicações todos os dias porque isso pode acabar se tornando cansativo para seus seguidores.

 

Creator Studio (Estúdio de criação)

Essa é a melhor ferramenta gratuita para programar publicações no Facebook e Instagram. O Creator Studio (ou Estúdio de Criação) foi desenvolvido pelo próprio Facebook e não há limite para quantidade de posts programados!

Na ferramenta, você decide se deseja publicar só no Facebook, Instagram ou os dois. Para o Facebook, é possível programar publicações de feed, stories, iniciar transmissão ao vivo e mais. Para o Instagram, no entanto, você só consegue programar posts para feed ou IGTV.

Estúdio de Criação

Dashboard do Estúdio de Criação

Calendário Estúdio de Criação

Calendário do Estúdio de Criação

 

Envio de e-mails

Como falamos anteriormente, o pós-venda é muito importante para que você consiga manter uma relação sólida com seus clientes.

E-mail marketing é uma ótima forma de nutrir essa relação, seja enviando congratulações de aniversário, informando sobre novas promoções, contando novidades da marca e afins.

 

Mailchimp

O Mailchimp é um serviço de envio de e-mails super conhecido mundialmente. Além dos planos pagos, ele possui um plano gratuito que oferece todas as ferramentas multicanais necessárias para você começar a cuidar do marketing da sua loja virtual.

No plano gratuito, você tem acesso ao criador de e-mails, CRM de marketing, formulários e páginas de destino (landing page), assistente criativo e criador de sites com domínio do Mailchimp. Tudo isso com limite de 2 mil contatos.

Além disso, no plano gratuito você tem suporte por e-mail por 30 dias, calendário de marketing, mais de 250 integrações com aplicativos e outras funcionalidades bastante interessantes!

Para quem está começando, o Mailchimp é um ótimo serviço para nutrir a base de clientes e capturar mais leads. Você só vai precisar pensar em pagar quando passar dos 2 mil contatos.

 

Atendimento por chat

Muitos dos seus clientes podem querer tirar dúvidas rápidas, sem muita demora.

Além de você conseguir integrar o WhatsApp da sua empresa com sua loja virtual (caso você venda pela Confere SHOP), existem outras soluções mais robustas que trazem mais informações sobre seus visitantes e o melhor de tudo: algumas são gratuitas!

 

Tawk.to

Com a ferramenta Tawk.to (que também pode ser integrada facilmente à sua loja online com a Confere SHOP, na sessão de aplicativos), você mantém um chat online para conversar com visitantes do seu site.

O chat pode ser acionado pelos seus visitantes e você pode configurar o horário em que sua equipe estará disponível para respostas rápidas.

Se o visitante quiser entrar em contato fora desse horário, ele pode deixar seu e-mail e uma mensagem - assim, você será notificado por e-mail que alguém entrou em contato e poderá responder o mais breve possível. Ou seja, acaba sendo uma outra ferramenta para captar leads e aumentar sua base!

O Tawk.to faz monitoramento em tempo real dos visitantes do seu site e mostra as páginas que eles visitaram, o que estão buscando e a frequência com que visitam a sua loja.

Você consegue facilmente informações sobre a localização desses visitantes e pode acabar tendo bons insights com esses dados. Segundo os fundadores da ferramenta, ela será eternamente gratuita!

 

EXTRA: Impressão de embalagens e gráfica

Criamos essa sessão extra para te dar dicas de gráficas que podem oferecer preços bons, caso você decida criar produtos com a marca da sua empresa!

 

Printi

A Printi é uma gráfica online que também trabalha com produtos digitais (flyers e peças para mídias sociais). 

Os preços são bem competitivos e existem diversos produtos que você pode fazer com a sua marca, como cartão de visita, caneca, flyer, embalagens diversas, expositores, adesivos etc.

A empresa também oferece alguns serviços para ajudar empreendedores a iniciarem seus negócios, além de oferecer produções e entregas expressas (com entregas em menos de 2 dias).

Produtos Printi

Sessão do site da Printi

360 imprimir

Assim como a Printi, a 360 imprimir é uma gráfica online que imprime materiais gráficos, brindes publicitários e muito mais. 

Os preços são competitivos e você conta com designs profissionais caso não saiba como construir uma peça.

São diversos produtos para diferentes segmentos que são atualizados constantemente. 

Além dos serviços de gráfica online (impressão digital e offset), a 360 imprimir oferece serviços de design para diferentes áreas de negócio, como restaurantes, escritórios de advogados, imobiliárias e mais. Lá tem de tudo: flyers, cartões de visitas, banners, máscaras protetoras, ímãs, brindes publicitários, blocos de notas adesivas e muito mais.

360 imprimir
Produtos da 360 imprimir

Hora de botar a mão no marketing!

Ufa! Depois de tanto conteúdo, acredito que conseguimos te dar informações suficientes para que você consiga implementar diversas estratégias de marketing digital dentro da sua loja virtual.

Lembre-se que o marketing é uma área em constante evolução e, por isso, é importante se manter atualizado e saber onde pode melhorar - porque sempre é possível melhorar! 

Lembre, também, que tudo na vida melhora com a prática. Por isso, no início pode parecer bastante desafiador, mas com o tempo (e com esforço, pesquisa e dedicação), você consegue alinhar o tom de voz da sua marca, entender melhor o seu público-alvo, aprimorar sua estética e, consequentemente, aumentar suas vendas online e sua credibilidade dentro da área.

Se você conhece empreendedores que podem se beneficiar com essas informações, não deixe de compartilhar o conteúdo! Agora, é hora de botar a mão na massa e turbinar suas vendas online com sua estratégia de marketing digital!

E se você chegou até aqui mas ainda não possui uma loja virtual, parabéns! É importante fazer pesquisa antes de colocar os planos em ação. Tenho uma ótima dica para você: é possível criar sua loja virtual na Confere SHOP totalmente de graça.

Isso mesmo, sem pegadinhas: enquanto muitas outras plataformas de e-commerce cobram por mensalidade e taxa por venda, na Confere você não paga NADA para montar a sua loja, nem será cobrado por mês.

Você pode vender por PIX, boleto, cartão e entregar para todo o Brasil com uma solução super prática e atendimento personalizado e humanizado. Conheça nossa solução e junte-se aos lojistas que já estão decolando nas vendas com a gente! Aqui estão alguns exemplos de lojas que amamos:

ELEPET - Loja online especializada em produtos para PET lovers! Aqui, os clientes encontram uma variedade grande de produtos para cães e gatos como shampoos, acessórios, lacinho/gravatinha, perfumes e mais. 🐶🐱

 

Elepet

Clique para acessar a loja

 

LT Acessórios - Loja online especializada na venda de acessórios como anéis, pulseiras, braceletes, brincos, colares, pulseiras... Tudo o que você precisa para compor belos looks femininos. 💅

ltacessorios

Clique para acessar a loja

Confere Shop loja online grátis