Maquininha Rede: qual modelo vale a pena para sua empresa?

Por Miriam Barros

Uma das mais conhecidas no mercado de maquininhas de cartão, a Rede traz uma grande variedade de serviços para os empreendedores. Mas ela vale a pena para o seu negócio? Confira uma análise completa sobre esta maquininha no presente artigo!

A marca do Banco Itaú, responsável por realizar transações e mediar conexões, é um dos nomes mais populares entre os empreendedores

Isso porque suas opções de serviços e modelos de máquinas conseguem atender diversas demandas, tanto de pequenos quanto de grandes negócios.

A Rede conta com máquinas de cartão tradicionais, o modelo avançado Smart Rede e o leitor de cartão Mobile Rede.

Diante da grande variedade oferecida pela operadora, naturalmente, surgem dúvidas sobre qual o melhor modelo para cada empresa e como avaliar o custo-benefício das máquinas.

Afinal, estamos falando de taxas diferenciadas, máquinas com ou sem mensalidades, entre outros pontos para serem levados em consideração.

Por isso, siga a leitura para explorar as possibilidades e potencialidades de cada maquininha da Rede!

Por que ter uma maquininha de cartão?

O pagamento por meio de cartões se tornou essencial para o crescimento das vendas de qualquer negócio e um dos meios favoritos para a realização de compras.

Seu uso cresceu consideravelmente, principalmente na função crédito e nas compras online. 

Esse aumento pode estar relacionado com a expansão do comércio eletrônico e a digitalização dos serviços financeiros.

Em 2020, por exemplo, o e-commerce cresceu 75%, representando 11% das vendas do varejo brasileiro. E o uso do cartão segue no mesmo ritmo.

Segundo pesquisa recente, 82% dos consumidores escolhem o cartão como meio de pagamento para compras parceladas.

Em 2020 também foi detectado um acréscimo respectivo de 12% e 26% no número de cartões de crédito e débito ativos.

Quando comparado com outros países da América Latina, o Brasil é a nação que mais usa o cartão de crédito, tanto em lojas físicas, como em e-commerces.

Já de acordo com estudo feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 71% dos pesquisados preferem o dinheiro em nota como meio de pagamento.

Não muito atrás, o cartão de débito já representa 66% e o de crédito 57% dentre os meios preferidos de pagar uma compra. 

Ou seja: a diversidade das opções de pagamentos é essencial para vendedores e a expansão do uso de cartões está abrindo mercado para mais modelos de máquinas.

Por isso, é importante possuir uma maquininha e os lojistas precisam escolher a opção ideal para o seu negócio.

Em seguida, exploraremos as maquinhas Rede e se suas soluções de pagamentos.

Sobre a maquininha da Rede

Como pontuado, a Rede é uma operadora do Banco Itaú, a qual não restringe que os recebíveis sejam pagos apenas pelo banco. 

Contudo, caso o vendedor deseje receber as vendas a crédito em um ou dois dias, é necessário, sim, ter uma conta no Itaú.

Em caso contrário, será aplicado o prazo comum de 30 dias.

A novidade da marca agora é a taxa de antecipação. Não é mais preciso pagar para receber em dois dias úteis as vendas de crédito à vista.

Taxas gerais:

  • Débito - 1,99%
  • Crédito - 4,97%
  • Parcelado 12x (antecipação) - 25,38%

Planos da maquininha Rede

Para maquininhas da Rede, existem dois planos: 

  • Aluguel zero, para aqueles com faturamento acima de R$5.000,00/mês;
  • Aluguel padrão, que é de R$69,00 para todas as máquinas de clientes com faturamento abaixo desse valor.

No aluguel padrão, o lojista recebe o valor na conta corrente durante o mês e o valor integral é cobrado apenas no início do mês seguinte, descontado dos recebimentos do dia.

O mesmo acontece com o plano aluguel zero, porém ao atingir o faturamento mínimo, o lojista tem de volta na conta em poucos dias 100% do valor do plano.

A Rede também conta com uma solução para pessoa jurídica (PJ), com taxas especiais voltadas para lojas que vendem de R$10.000 a R$100.000/mês.

As taxas, nestes casos, são:

De R$10.000 a R$20.000:

  • Débito 1,90%
  • Crédito à vista 3,09%
  • Crédito parcelado 3,49% (+1,99% por parcela a partir da 1ª para recebimento de todas as parcelas em 2 dias e +1,99% para recebimento em 30 dias)

De R$21.000 a R$50.000:

  • Débito 1,59%
  • Crédito à vista 2,59%
  • Crédito parcelado 3,09% (+1,99% por parcela a partir da 1ª para recebimento de todas as parcelas em 2 dias e +1,99% para recebimento em 30 dias)

De R$51.000 a R$100.000:

  • Débito 1,29%
  • Crédito à vista 2,29%
  • Crédito parcelado 2,89% (+1,99% por parcela a partir da 1ª para recebimento de todas as parcelas em 2 dias e +1,99% para recebimento em 30 dias)

Para novos credenciados que são clientes Itaú, há um benefício em que, durante um período de três a sete meses não é cobrado aluguel.

Ao concluir o intervalo de tempo, a operadora disponibiliza a possibilidade de zerar o valor do aluguel para aqueles que utilizam o plano Adapt – veja detalhes aqui.

Dessa forma, a redução se dá de acordo com o aumento do faturamento. A mensalidade começa a redução em 25%, podendo chegar a 100%.

Modelos de maquininha da Rede

Quando falamos que a maquininha da Rede era popular, não foi por acaso. 

No final de 2019, havia cerca de 1,5 milhões de máquinas do grupo ativas pelo Brasil em estabelecimentos de 1 milhão de clientes.

Esse número é reflexo da sua credibilidade e opções de modelos. 

Todas as maquininhas aceitam aproximação, e podem ser utilizadas em pontos de vendas ou em entregas. Os chips possuem planos de dados incluso em seu valor total.

Cada dispositivo possui suas características, e pontos que podem ser vantagem ou desvantagem, dependendo do estágio do empreendimento.

Vamos ver os exemplos de cada modelo?

Mobile Rede

A Mobile Rede transforma um smartphone ou tablet em uma maquininha de cartão.

O cliente recebe suas vendas a crédito em até dois dias úteis e pode cancelar o serviço sem pagar multas.

Segundo o site da Rede, a maquininha é boa para pessoas físicas e jurídicas, profissionais liberais, microempresários e pequenos lojistas.

Ela se adequa a segmentos de vendas direta, feiras, eventos e serviços em geral.

O cliente pode gerenciar suas vendas pelo Portal Rede ou aplicativo e sua bateria tem duração de até 72 horas.

Ao adquirir essa maquininha, o cliente dispõe de suporte técnico 24 horas, todos os dias da semana, sem custos adicionais.

Diversas bandeiras são aceitas, e a operadora disponibiliza acesso a relatórios de transações e estornos de venda por meio do aplicativo Mobile Rede ou Portal Rede.

Para utilizar a maquininha é necessário acesso à internet, seja por 3G/4G ou wi-fi. O leitor Mobile Rede é conectado ao celular ou tablet por Bluetooth.

Maquininha sem fio

Ideal para negócios que precisam de mais mobilidade, é possível levar a maquininha sem fio da Rede até o seu cliente. 

Varejistas que buscam flexibilidade e fazem vendas fora do ambiente comercial podem, certamente, apostar nela!

Para obter essa maquininha da Rede, é necessário pagar um preço fixo por mês que inclui o aluguel da máquina e as taxas de crédito e débito, sem necessidade de adesão.

A maquininha sem fio aceita as principais bandeiras do mercado e o seu assinante recebe suas vendas no crédito à vista em apenas dois dias úteis.

Em caso de problema, o cliente pode contar com suporte técnico 24 horas, sete dias por semana, sem custos adicionais.

Essa maquininha da Rede também oferece recargas de celular das operadoras Vivo, Tim e Claro, também sem custos adicionais (e o operador ainda recebe comissão por cada recarga realizada).

A sua conexão é por meio de chip, não ocupando e necessitando de linha telefônica.

Sua bateria dura em média seis horas, caso seja frequentemente utilizada.

A maquininha sem fio aceita cartões de débito, crédito e voucher (refeição e benefícios).

Maquininha com fio

Na maquininha com fio da Rede, o vendedor realiza suas vendas direto do caixa ou balcão, necessitando de uma linha telefônica e energia elétrica.

Essa maquininha é boa para estabelecimentos que se localizam fora da área de cobertura das operadoras de celular ou para aqueles que efetuam suas vendas apenas no balcão.

O aparelho é ideal para lojas físicas em geral, prestadores de serviço, bares, restaurantes e estacionamentos.

Para adquirir a maquininha, o varejista precisa pagar um preço fixo por mês que inclui a maquininha e as taxas de crédito e débito.

O modelo aceita as principais bandeiras de cartão, e o contratante recebe suas vendas no crédito à vista em dois dias úteis.

Assim como a maquininha sem fio, essa opção também aceita recarga para celular e oferece comissão para cada recarga realizada.

Sua conexão é feita diretamente pela linha telefônica e não utiliza bateria: esse modelo é conectado à tomada.

Os cartões aceitos são débito, crédito e voucher (refeição e benefícios).

Smart Rede

Com design inovador, a Smart Rede possui telas touch screen e tecnologia com sistema Android.

Através da Smart Rede, é possível fazer o download de diversos aplicativos que facilitam o negócio do empreendedor.

Estes aplicativos vão auxiliar na gestão e no controle de vendas do estabelecimento. Pode-se ser feito:

  • Consulta de cheques;
  • Conciliação financeira;
  • Acompanhamento de estoque;
  • Pagamentos com Samsung Pay, Apple Pay e Google Play;
  • Emissão de relatórios inteligentes.

Para utilizá-la, é necessário se conectar por meio de 3G, Wi-fi ou cabo, uma vez que o envio dos comprovantes do cliente pode ser feito por e-mail e SMS.

A Smart Rede possui ferramentas adicionais como câmera de leitura de QR Code e código de barras, duas entradas USB, microfone, impressora, etc.

É possível imprimir os comprovantes de venda pela máquina, além de enviá-los automaticamente por e-mail.

E os pagamentos podem ser feitos com cartões de chip e tarja, tanto de débito, crédito, voucher e private label.

Portal da Rede

No portal da Rede, é possível acessar os detalhamentos de vendas, recebimentos e serviços como antecipação de recebimentos, comprovação de vendas de cada maquininha, entre outros.

No dashboard inicial, é mostrado o comparativo de vendas em relação aos dias realizados, incluindo indicadores como:

  • Quantidade total bruto e recebimento líquido;
  • Modalidade (crédito ou débito);
  • Bandeira;
  • Horário;
  • Status da venda
  • Consulta de cancelamentos.

Há, por fim, dados do valor total bruto, com cada venda e recebimento e um detalhamento do dia vigente ao lado do calendário.

Conclusão: a maquininha da Rede vale a pena?

Como podemos notar, a Rede oferece diversos modelos de maquininhas, que conseguem alcançar a demanda de diversos tipos de negócio.

Além das destacadas, há também modelos:

  • TEF sem fio (móvel, chamada Mobile TEF);
  • Pin Pad (fixa para automação comercial com conexão via cabo USB ou serial).

Cada um destes modelos podem te atender de uma forma, basta analisar o momento financeiro do negócio, volume de vendas, e calcular o custo-benefício.

Se quiser fazer um comparativo da maquininha da Rede com outras marcas, não deixe de conferir nosso ranking de maquininhas!

Assim, você conseguirá saber se a Rede ou outro modelo de maquininha vale para sua empresa. E lembre-se: independentemente de sua operadora, o controle e conferência das máquinas de cartões pode ser automatizado com o apoio das soluções da Confere!

Este texto foi escrito por João Barros