Nome fantasia e razão social: como registrar a marca de minha empresa?

Por Miriam Barros

A marca de uma empresa é o principal elemento de comunicação. Assim, ao criar um empreendimento, a primeira etapa deve ser registrar o nome escolhido.

Para muitos, principalmente empresários iniciantes, os processos burocráticos podem parecer complexos e até mesmo exaustivos.

No entanto, o sucesso de um negócio depende também da segurança com as leis, caso contrário, as atividades podem ser embargadas antes mesmo do início.

Ao definir o nome de uma loja, por exemplo, você deve – antes de começar as atividades – verificar se está disponível para ser patenteado. 

Ou seja, de nada adianta achar um domínio livre na internet, mas querer usar uma marca que já tem dono.

Se existir outra com o mesmo nome, isso pode causar uma confusão na mente do consumidor, isso sem falar nas consequências jurídicas.

Dito isso, neste artigo detalhamos os passos a serem seguidos ao começar um negócio, salientando cada etapa do processo para registrar uma marca e empresa.

Confiram!

Qual a importância de registrar a marca de uma empresa?

Imagine um cenário em que você e sua equipe passam semanas criando um nome que traduz os valores da marca, um nome sonoro, fácil de memorizar.

Porém, quando começam a utilizá-lo, recebem uma notificação que este nome está registrado, e, em alguns casos, chegam a sofrer com multas e processos judiciais.

Isso ocorre porque, quando o empreendedor registra a marca de uma empresa, ele quer, justamente, manter a segurança de ter um nome diferenciado no mercado.

E você também deve ter essa preocupação para reforçar o marketing do negócio!

Por isso, depois de escolher os prováveis nomes para sua loja virtual, verifique se não existe outra empresa que já use o nome escolhido.

Abaixo, descreveremos os processos de verificação, como você pode registrar uma marca e se manter dentro da legalidade com sua empresa.

Assim, seu negócio começará com o pé direito, e evitará surpresas, ou até mesmo impacto financeiro em processos jurídicos.

Como definir o nome de uma loja virtual?

Acabamos de ver que o nome de uma loja é algo super importante, afinal, esta é sua identidade.

Entretanto, sabemos que definir um nome pode ser muito desafiador. A propósito, essa é uma tarefa estratégica.

Inclusive, há até uma área focada nisso em definir nomes (naming) para produtos, serviços e lojas, atuando diretamente no branding de uma marca.

Ao definir o nome de uma loja, influenciamos diretamente, inclusive, na experiência do consumidor com a marca. Ou seja: ao registrar sua empresa, avalie bem essa etapa.

Um bom nome é algo de impacto e, por isso, um dos fatores mais valiosos que há para um empreendimento.

Dicas e tipos de nome para um negócio

Pensando nas questões expostas acima, separamos uma pequena lista com algumas dicas para você criar um nome original, criativo e bem diferente dos que já estão registrados.

  • O uso de nomes descritivos

É um tipo de nome que induz sobre o que a empresa, produto ou serviço que ela oferece. 

Uma boa opção para quem deseja ir direto ao ponto e quer reforçar os valores da marca da empresa na hora de registrar o negócio.

 

  • Siglas

Ao definir o nome da loja, outra opção são as siglas derivadas de outros nomes que foram abreviados para não ficarem extensos.

É muito comum, por exemplo, vermos as iniciais dos sócios como marca. Ao seguir essa linha para registrar sua empresa, pense se a sigla é de fácil identificação e irá soar bem.

 

  • Nomes próprios

Os nomes próprios têm também o lado positivo e o negativo. Como as siglas, podem soar bem e trazer, inclusive, credibilidade para a empresa. 

Já o lado negativo é que pode não indicar um atributo da marca. De modo geral, para registrar a marca de uma empresa, os nomes próprios podem ser interessantes para consultorias ou negócios liderados por profissionais com forte reconhecimento no mercado. 

 

  • Nomes sugestivos

Sobre os nomes sugestivos, eles mostram a natureza do negócio, remetendo o consumidor aos atributos da marca e despertando a curiosidade.

 

  • Nomes Interativos ou com variações

Diz respeito às palavras usadas para representar uma marca e suas atividades. Como exemplo, temos: Shopee que é uma variação do nome Shopping.

 

  • Nomes que remetem a experiências

São nomes que são feitos com base nos sentimentos e experiências que a marca oferece ou deseja transmitir para o mercado.

Como verificar se o nome já está registrado?

Em uma simples pesquisa no Google, ou em redes sociais, você já consegue ver se o nome já está sendo usado por alguém.

Vale frisar que, muitos destes nomes podem ainda não estarem registrados, o que te dá margem para utilizá-los mediante ao registro.

Cabe a você decidir se vale a pena. Afinal, sua marca pode se perder em meio a outros links e ser confundida com outra empresa.

Por isso, não deixe de ser original e buscar algo que traduza a essência do seu negócio.

Há também outro método de pesquisa, mais oficial, para verificar quais nomes estão registrados, tanto razão social, quanto nome fantasia.

Estamos falando do órgão responsável pelos registros de marca: o  Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).

Em seu site, é possível pesquisar por palavras-chaves e categorias de empresa para saber quais nomes estão registrados e quais estão liberados na hora de você registrar sua marca.

Como registrar a marca de minha empresa?

Após a longa jornada para definir um nome e verificar sua disponibilidade, partimos para como podemos registrar sua marca e protegê-la para que ninguém mais use o nome da empresa.

Qualquer pessoa física ou jurídica que execute alguma atividade legalizada pode fazer tal solicitação e pedir o registro.

Vale ressaltar que o registro tem duração de 10 anos, mas pode ser solicitada a prorrogação, ou seja, é preciso renovar a exclusividade periodicamente.

 

Registrando minha marca

O primeiro conselho é: leia o Manual do INPI para ver se existe alguma restrição. Você consegue baixá-lo dentro do site do Instituto.

Além disso, o próprio INPI disponibiliza tutoriais em vídeo explicando as etapas do pedido de registros.

A primeira etapa consiste em fazer um cadastro no site. Para isso, será necessário preencher um formulário, informando:

  • natureza da marca;
  • nome;
  • anexo de imagem;
  • categoria de atividades;
  • Depois, você deverá escolher os serviços ou produtos que correspondem à sua marca;
  • Por fim, anexe os documentos e registros que comprovem a natureza do negócio.

As informações necessárias estarão disponíveis no site. Após fazer o cadastro informando os dados que são solicitados, emita e pague a guia oferecida pelo sistema.

Para registrar marca, é preciso pagar a Guia de Recolhimento da União (GRU) - documento estabelecido pelo Ministério da Fazenda para recolhimento de taxas.

Lembre-se de fazer download do protocolo da solicitação de registro. Em caso, por exemplo, de registro duplo do mesmo nome, o protocolo será sua comprovação.

 

Acompanhe o registro do seu pedido

Uma vez solicitado, você deve acompanhar o andamento do processo, pois o instituto pode solicitar novas documentações.

O acompanhamento é simples. Utilize o número gerado pela GRU para verificar os status no site do INPI, em “Meus Pedidos”.

Outra forma indicada, pelo próprio instituto, é ler a Revista da Propriedade Industrial (RPI), publicada nas terças-feiras.

Importante dizer que o INPI registra somente nomes fantasias: a razão social é criada no momento de abertura do CNPJ.

Diferença entre razão social e nome fantasia

O nome fantasia faz parte de um dos dois títulos dados a uma empresa – ambos você precisará registrar para fortalecer sua marca.

O nome fantasia é a marca que será pública, utilizada em peças publicitárias, sites, e em outros canais de comunicação.

Diferente da razão social, que é um nome para registro nos órgãos governamentais e cartórios e está associado ao CNPJ. 

Um exemplo básico: nas documentações relativas a empresa constará a razão social e nas redes sociais, embalagens e fachada da loja, estará o nome social ou fantasia.

Bônus: dicas para definir o nome da sua loja!

No processo de criação de nome de loja, o empresário precisa optar por alguns caminhos até chegar nas palavras ideais e, por fim, fazer uma escolha interessante.

Vejamos agora dicas para te auxiliar neste processo.

 

Evite nomes extensos e complexos

Ao definir o nome da loja, saiba que as pessoas devem lembrar o nome sem dificuldades.

Não é nada bom ou efetivo se o nome não é fácil de ler ou de se tornar memorável.

 

Seja criativo

Faça uma lista até chegar a uma escolha, então, não fique no primeiro nome que vier à cabeça.

Procure criar alternativas e veja como elas podem ser aplicadas em locais como a fachada de sua loja, nas redes sociais e outros. 

 

Busque inspirações

Se inspire no mercado e até em negócios internacionais, tomando sempre o cuidado de escolher um nome que irá atrair novos  clientes e será memorável.

Conclusão:

Como vimos, o registro de marca é super importante, assim como todas as outras leis relativas à abertura de uma empresa.

Verificar a existência dos nomes no momento de brainstorming economiza tempo e pode até ajudá-lo a se inspirar mais.

Além da qualidade do seu produto, a mensagem da identidade (branding), junto ao nome fortalece a experiência dos clientes.

Deste modo, pense com criatividade, seja único, não fugindo da essência da sua empresa. Com isso, registrar sua marca, além de essencial para o funcionamento do negócio, gerará impactos positivos para o seu crescimento.

Este texto foi escrito por João Barros