O que é e-commerce? Como criar o seu em 2021!

Por Miriam Barros

Comércio eletrônico. É justamente essa a tradução da abreviação em inglês e-commerce. Podemos conceituar e-commerce como toda transação comercial feita pela via virtual, ou seja, nada mais é do que usar a internet como canal para suas vendas.

Provavelmente você já sabia disso, afinal, em pleno 2021 as lojas virtuais já são populares e apresentaram um crescimento imenso nos últimos tempos – principalmente considerando a pandemia de Covid-19. 

Se você quiser vender pela internet, a criação de um site com seus produtos é chave. 

Criar o site não é difícil e nesse texto procuramos trazer tudo o que você precisa saber para colocar sua loja no ar. A partir daí, acessando por um celular, computador ou tablet, qualquer um poderá fazer uma busca, visualizar seus produtos e comprar de você.

Leia o texto até o final para entender os passos que você precisará seguir para criar o seu.

Confere Shop loja online grátis

Como funciona um e-commerce

Primeiro de tudo, importa entender o funcionamento de um e-commerce.

Para o consumidor, o processo é bem simples: através de seu dispositivo ele acessa o site de seu interesse, visualiza e escolhe os produtos, realiza o pagamento virtualmente e seleciona a opção de frete. Depois, é só aguardar a entrega.

Para o lojista, o processo é mais complexo. São diversas as etapas para o bom funcionamento de um e-commerce, que vai desde a seleção de boas fotos dos produtos até o contato com bons fornecedores, a gestão, a logística de entrega, o marketing, a seleção de domínio, enfim... uma série de pontos para investir atenção.

O processo de venda e atendimento de um e-commerce é feito todo online, o que significa que devem ser realizados esforços diferentes daqueles de uma loja física. 

Para garantir uma compra segura e a satisfação do cliente, a automatização de processos e a otimização das plataformas de controle devem ser uma preocupação contínua. 

 

O crescimento do e-commerce no Brasil

O primeiro e-commerce do Brasil surgiu em 1995 com o site Booknet, considerada a primeira loja virtual disponível no país e que hoje é a Submarino, do grupo B2W.

A Amazon também chegou ao Brasil nessa época com comércio de livros.

Foi apenas nos anos 2000, com a popularização da internet, que o segmento teve um crescimento exponencial e se tornou um mercado bilionário.

O crescimento do e-commerce em 2020 mais que dobrou e segundo o relatório da Ebit/Nielsen, o crescimento esperado no setor para 2021 é de 26%. 

Hoje, você pode comprar tudo na internet. Inclusive itens perecíveis. As possibilidades são inúmeras e com o processo de compra e venda cada vez mais otimizado e responsivo, a tendência é que as vendas online sejam cada vez mais um caminho para os mais diversos produtos e serviços.

Inclusive, o que se espera para o futuro do e-commerce no Brasil é que cada vez mais as marcas estejam presentes em redes sociais, que a logística operacional de entrega seja cada vez mais moderna, com mais possibilidades de envio e menos tempo de espera e que lojas físicas e virtuais estejam cada vez mais integradas, possibilitando o melhor no quesito experiência com o cliente.

O que uma loja virtual precisa ter?

Algumas coisas são essenciais para garantir o sucesso do negócio e que seu cliente vai voltar para comprar mais depois. Administrar um e-commerce é trabalhoso e por isso trouxemos nesse texto o que é mais importante investir no seu negócio.

Vamos lá. 

Um ponto essencial e que muitas vezes é negligenciado é um bom design de fácil navegação. 

Vale a mesma lógica de lojas físicas: quando você entra em um ambiente organizado, limpo e bonito dá mais vontade de comprar e de passar mais tempo, certo? No ambiente virtual é a mesma coisa. 

A impressão que passa quando um site tem um bom layout e uma navegação fácil é a de que a gestão de toda a loja é organizada e isso dá mais segurança ao consumidor para comprar de você.

Outro ponto importante é que o seu design precisa ser responsivo, ou seja, ele deve ser adaptável às diversas telas.

Ainda de acordo com o relatório Webshoppers da Ebit/Nielsen, 55,1% das compras realizadas online em 2020 foram feitas pelo celular. Ou seja, mais da metade! Desse estudo se pode concluir: se seu design não conversa com celulares, você perde um grande potencial de vendas.

Fotos de qualidade também precisam ser priorizadas na sua loja virtual. As fotos precisam demonstrar a qualidade do seu produto e possibilitar que o usuário possa dar zoom para ver detalhes. 

Além disso, você precisa investir em boas descrições para os produtos. Como o cliente não vê seu produto, ele precisa confiar nas referências que você dá. Uma boa imagem e uma descrição bem feita fazem muito pelas suas vendas.

Mais uma coisa importantíssima: manter um processo rápido e prático no seu o carrinho de compras. No momento do seu cliente fechar a compra, não o faça ir e voltar, fazer logins, preencher relatórios e ficar muito tempo nesse processo. Facilite para ele e solicite apenas o necessário.

Essas são algumas das coisas importantes para o sucesso da sua loja virtual, mas o processo de criação dela passa por etapas anteriores a essas mencionadas acima, como por exemplo a criação de um domínio e a hospedagem do seu site. Você sabe o que é isso?

Nova call to action

O que é domínio e serviço de hospedagem?

Depois que você decidir o nome da sua loja, é hora de registrar o domínio.

Domínio é o nome do seu site. É seu URL. 

Os domínios mais comuns no brasil são aqueles terminados em “.com.br”.

Depois que o domínio estiver resolvido, você precisa se preocupar também com o serviço de hospedagem. A hospedagem é o serviço que irá armazenar sua loja virtual. Comparando com uma loja física, seria como se fosse o espaço da loja. Hospedagem é o espaço virtual que sua loja ocupará e você precisará contratar um serviço para isso.

Claro, o valor é bem menor do que de um aluguel de espaço. Esse “local virtual” armazenará tudo o que você precisa: as fotos dos produtos, os vídeos, as funcionalidades como o checkout de pagamento. 

Mais abaixo aqui nesse texto você encontra informações mais detalhadas sobre como registrar o domínio e decidir a plataforma de hospedagem.

Principais tipos de e-commerce

Você não precisa ter uma loja virtual apenas voltada para o consumidor final. São vários os tipos de e-commerce e diferentes as finalidades de cada um deles. 

Trouxemos nesse texto duas das principais abordagens para lojas virtuais: a abordagem B2B e a abordagem B2C. Além disso, falamos também de marketplaces, sites em que você pode cadastrar produtos para vender.

 

B2B

A sigla B2B significa business-to-business, um termo em inglês que traduzido seria como “de negócio para negócio”. Um e-commerce do tipo B2B é aquele que vende para outras empresas. 

Em geral, são lojas virtuais de distribuidores ou fabricantes de maquinários ou matéria prima, que vendem para empresas que produzem para o consumidor final.

Como os principais produtos de um negócio B2B podem sofrer alterações no preço; na capacidade de transporte e no pedido mínimo continuamente, o sistema operacional precisa ser mais complexo para dar conta das variáveis que são esperadas para esse tipo de comércio.

 

B2C

B2C significa business-to-consumer, ou seja, “do negócio para o consumidor”. Esse é o tipo de e-commerce que a maioria das pessoas está mais acostumada a ver. É o varejo tradicional.

 

Marketplace

Um marketplace é um site que se destina a vender diversos produtos de variadas lojas e marcas. Funcionam como shoppings na internet, você encontra de tudo de vários vendedores diferentes em um mesmo local.

Quando um produto está disponível em um marketplace, a plataforma comum intermedia o pagamento entre outras coisas. Acaba sendo uma proposta atraente pela simplicidade de gerenciamento. Você só precisa se cadastrar no marketplace de sua preferência e carregar produtos. 

Ao decidir por um marketplace é importante pensar em autonomia. Em geral, a empresa de marketplace acaba decidindo uma série de políticas e seu produto não será tratado como diferencial, apenas estará exposto junto aos concorrentes.

Como criar sua loja virtual

Agora que você já sabe o que é e-commerce, como funciona e os principais tipos disponíveis, podemos falar sobre o passo a passo para você criar o seu. Vamos lá?

 

1. Escolha o servidor

O primeiro passo para criar um e-commerce é escolher onde ele ficará hospedado.

Existem muitas plataformas de hospedagem para e-commerce e você precisará escolher aquela que oferece as funcionalidades que você precisa, como por exemplo: design responsivo; um bom sistema de buscas; integração com marketplaces, mídias sociais e serviços de pagamento; um bom carrinho de compras; possibilidade de inserir cupons de desconto; otimização...

Enfim, as funcionalidades são muitas, resta escolher a plataforma que te garante isso. 

Aqui você opta por criar um site próprio ou subir produtos em um Marketplace.

Uma opção para você é a Confere Shop, que reúne todas essas funcionalidades e melhor: sem que você precise pagar qualquer mensalidade!

Confere Shop loja online grátis

 

2. Crie o nome e compre o domínio

O segundo passo depois de decidir onde você hospeda sua loja é criar o nome da sua loja e comprar o domínio.

Para verificar se no nome que você criou há domínio disponível, você pode acessar o site registro.com.br e verificar. Caso o nome que você pensou já esteja sendo utilizado, o próprio site te dará outras opções.

 

3. Tenha um bom controle de estoque

Uma vez que sua loja foi hospedada e o domínio definido e comprado, seu e-commerce já foi criado. 

Criar o e-commerce não é o maior desafio. A maior questão é ajustar aquilo que fará a diferença para ele ser ativo e funcional.

O primeiro ponto crítico é o controle de estoque. Você precisará planejar bem a armazenagem dos seus produtos para que não ocorram problemas de falta de estoque, por exemplo, que podem influenciar e muito na percepção de seus clientes sobre sua loja online.

Além da falta, o excesso também merece atenção. É importante ter esse controle para evitar que produtos fiquem parados no seu estoque.

Para isso, estude bem o mercado e as métricas de resultados do e-commerce periodicamente. Assim, você conseguirá se planejar e obter material para tomar decisões estratégicas.

 

4. Escolha os métodos de pagamento

É importante também, ao criar seu e-commerce, escolher os meios de pagamento que serão aceitos no seu negócio. 

O sistema de cobrança precisa ser seguro, prático e transparente, uma vez que lida com os dados dos compradores.

Você pode optar por um meio direto ou indireto de pagamento. No indireto, outras plataformas ficam responsáveis pelo caixa, como o Mercado Pago, PayPal ou o PagSeguro, por exemplo. 

O lado positivo é a segurança, uma vez que a autoridade e confiabilidade de empresas como essas já está na consciência do consumidor. A desvantagem é que cria uma nova etapa para o seu cliente e que algumas possuem taxas para o vendedor.

No sistema direto, o pagamento é realizado no seu próprio site e é mais prático para o cliente. Muitos usuários podem ficar preocupados com a segurança e por isso você precisará investir em dotar seu sistema de um aparato confiável, pois a responsabilidade sobre esses dados será sua.

 

5. Planeje a logística e entrega

A logística de entrega do seu e-commerce precisa ser bem pensada também. O prazo de entrega e o preço do frete podem ser dois obstáculos da venda e por essa razão precisam de atenção do vendedor.

Você precisa ter boas opções de transporte e parceria com transportadoras para garantir uma entrega de qualidade. Pequenos negócios costumam utilizar os Correios e indicamos também plataformas como a Melhor Envio, que otimiza todo o processo de comparação de preços e prazos em uma única plataforma.

 

6. Crie um plano de marketing

Não basta sua loja virtual existir, ela precisa ser conhecida e encontrada pelo público.

Uma boa estratégia de marketing pode ser o diferencial para o seu e-commerce chegar mais longe e atingir mais vendas. Dentre elas:

  • Segmentação de clientes para atendimento personalizado via e-mail e obtenção de dados sobre os principais consumidores. Em geral, essa segmentação ocorre com o uso de tecnologia como a de cookies.
  • Marketing de conteúdo como ponte para os clientes conhecerem os produtos que você tem disponíveis.
  • Fidelização através de cupons de desconto e promoções especiais.
  • Investir em anúncios pagos pela internet, seja em redes sociais ou no Google.

 

7. Organize o atendimento ao cliente

Como no ambiente online não há interação com uma vendedora, por exemplo, é importante garantir um bom atendimento ao cliente pela internet.

Invista em canais em que seus clientes possam solicitar reembolsos, trocas ou emitir feedbacks. Isso não só te sugere pontos de melhoria, como evita reclamações online ou no Reclame Aqui, que podem ser muito prejudiciais ao seu negócio.

A confiança do usuário na sua loja virtual deve ser garantida. Ter um bom atendimento online é a forma de fazer isso.

Erros que você não pode cometer!

Agora que você entendeu o que é e-commerce e como montar um, precisa saber dos erros comuns que você não pode cometer no seu.

Os principais erros são:

  • Não ter um site responsivo
  • Não ter uma boa gestão 
  • Oferecer poucas opções de pagamento
  • Não cumprir os prazos de entrega e ter uma taxa de frete altíssima
  • Não compreender seu público
  • Ignorar o marketing

Aqui no blog da Confere temos um texto que apresenta detalhadamente 13 erros principais que você não pode cometer no seu e-commerce. Se quiser saber mais sobre isso e estar preparado para não errar ao começar, não deixe de ler o artigo.

 

Passo a passo para vender pela internet

Vender na internet tem seus desafios, mas é uma porta de entrada para alavancar negócios e, como se sabe, as previsões para o setor são as melhores a título de crescimento.

Planejar o início do seu e-commerce é importante e aqui no Blog da Confere temos um guia essencial para o sucesso do seu e-commerce.

Nele você entende como vender pela internet e todos os passos que precisa seguir rumo ao sucesso.

Alguns passos importantes que você deve observar são:

  • Definir seu segmento
  • Planejar 
  • Analisar a concorrência
  • Definir os produtos
  • Estruturar a logística e a gestão
  • Escolher canais de venda

Esperamos que esse texto tenha te inspirado a começar a vender online ainda em 2021 e fique de olho em todos os posts da Confere, pois sempre trazemos aquilo que é imprescindível para que seu e-commerce obtenha os melhores resultados!

New call-to-action

Este texto foi escrito por Luiza Cristina Sousa.