Dropshipping: o que é e quais são os prós e contras?

Por Miriam Barros

O dropshipping é um método de vendas onde a loja virtual não mantém os produtos em estoque. Em vez disso, a loja vende o produto e repassa o pedido para um fornecedor terceiro, e somente então envia para o cliente.

Mas será que trabalhar com dropshipping vale a pena? Quais são as vantagens deste modelo e os riscos para o empreendedor?

Uma das vantagens mais atraentes do dropshipping é que não é necessário muito dinheiro para começar a trabalhar com este modelo. Mas, como em qualquer negócio, é preciso muito esforço e dedicação para ver retorno.

Se ainda não sabe o que é dropshipping e se vale a pena apostar neste modelo, veio ao lugar certo. Tire todas suas dúvidas a partir de agora!

Loja online gratuita Confere Shop

O que é dropshipping?

Como explicado acima, dropshipping é um modelo onde você expõe produtos de fornecedores terceiros, que fazem o pedido no seu site. Com isso, o empreendedor ganha uma comissão sobre a venda realizada.

Para exemplificar melhor, imagine que você possui uma loja online de acessórios.

Como um dropshipper, você não precisa ter um depósito enorme e uma operação grande para garantir que o produto vendido está disponível no estoque. Em vez disso, o fornecedor já possui esse espaço e os itens.

Depois que o cliente compra na sua loja, o fornecedor (ou fornecedores, sua loja pode ter mais de um) assume o processo da compra e envia o produto diretamente para o cliente. Assim, você não precisa lidar com a parte logística de envio, emissão de nota, etc.

Sua principal tarefa, enquanto vendedor, é fazer com que os clientes cheguem até sua loja online.

 

Dropshipping é ilegal?

Uma rápida procura por dropshipping no Google e você verá milhares de notícias e opiniões negativas sobre este modelo. Inclusive, uma das dúvidas mais comuns que surgem é se este sistema é ilegal. Não, dropshipping não é ilegal no Brasil, não se preocupe.

Inclusive, há grandes chances de você já ter feito uma compra dentro deste modelo antes, já que grandes e-commerces como Americanas, Shoptime, Amazon e Submarino utilizam este sistema há muito tempo.

Porém, para exercer a atividade de dropshipping, é preciso formalizar seu negócio e abrir um CNPJ (que inclusive pode ser o MEI). Afinal, a regra é a mesma para qualquer negócio de comércio de produtos.

Como não existe uma legislação específica, o dropshipping pode ser classificado como intermediador de negócios, de acordo com a Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE).

Mas, é preciso seguir leis que regularizem a atividade de e-commerce. Então, dropshipping é um sistema 100% confiável, desde que o fornecedor e o vendedor cumpram essas leis.

Quais são as vantagens de trabalhar com dropshipping?

Para quem deseja iniciar uma loja virtual, o dropshipping pode ser um bom começo. Além de não precisar de ter o estoque para pronta entrega, outras vantagens deste modelo são:

 

É fácil de começar

Para começar uma loja virtual de dropshipping, não é preciso experiência anterior como empreendedor online, o que é ótimo para quem está procurando uma nova fonte de renda. Com o tempo, será possível expandir e aprender mais sobre o negócio na prática.

Como não é preciso ter estoque em mãos, é possível começar agora mesmo. Como o fornecedor cuida do envio para o cliente, você não precisa contratar funcionários para ajudar a cuidar da loja.

 

Você pode trabalhar de casa

Uma das grandes vantagens de ter uma loja virtual, inclusive de dropshipping, é que é totalmente possível fazer tudo só com um computador, sem precisar se deslocar até outro local de trabalho.

Mesmo com o crescimento da sua loja, será possível manter a mesma operação, já que os produtos dependem do fornecedor.

 

É um modelo flexível

Trabalhar com dropshipping é também bastante flexível para tomar decisões importantes. Você pode sempre adicionar e remover produtos em poucos cliques, sempre ajustando as estratégias de acordo com seus objetivos e com o que os clientes procuram.

Com isso, é mais fácil escalonar o negócio, investir mais em marketing e crescer de forma saudável.

Planilha gratuita controle de estoque

E quais são os contras do dropshipping?

Como todo negócio, o dropshipping possui desvantagens que devem ser levadas em consideração para quem está pensando em começar um negócio assim. Eis as principais:

 

Margem de lucro pequena

Como você não precisa gerenciar e armazenar um estoque, as despesas gerais são baixas. Se o investimento é baixo, o retorno também é, já que você ganha uma taxa de comissão por venda realizada.

A concorrência alta também é um fator a ser considerado. Uma vez que requer poucos recursos para começar, muitas pessoas estão procurando trabalhar com dropshipping e para conseguir competir, é preciso baixar os preços.

 

Pouco controle sobre o estoque

Mesmo sendo uma vantagem não trabalhar com estoque imediato, esse fator também pode se tornar um problema. Há muitos fornecedores que não são confiáveis, então você não saberá se o produto está disponível ou não.

Por isso é essencial saber escolher os fornecedores. Pois mesmo que o envio não seja de sua responsabilidade, o comprador ainda irá procurar a loja que comprou para cobrar o status do pedido. Logo, será você o ponto principal de contato.

 

Atendimento ao cliente é o mais desafiador

Como dito acima, você ainda será o grande responsável pelo atendimento ao cliente. Quem possui uma loja virtual sabe que alguns problemas podem ocorrer, como cancelamentos e falta de produtos em estoque.

Sim, em caso de reclamações e problemas, você terá que lidar com os clientes e resolver os problemas. Assumir a responsabilidade e absorver o erro em nome dos fornecedores faz parte do modelo de negócios.

Como trabalhar com dropshipping?

Agora que você já sabe como é dropshipping e suas vantagens e desvantagens, é hora de aprender como trabalhar com este modelo. Mesmo com concorrência alta, é possível começar agora mesmo e ter um bom retorno.

Vamos ao passo a passo:

 

1. Escolha seu nicho de atuação

A primeira etapa para começar uma loja de dropshipping é saber escolher o nicho certo. Se a sua loja focar em vários nichos, será muito mais difícil criar um bom plano de comunicação e divulgação. 

Se optar por vários nichos e colocar todos os produtos misturados, os clientes irão ficar confusos e sairão da loja. Portanto, escolha um nicho de mercado que você conheça e entenda.

O nicho escolhido deve ter uma demanda de compra e baixo custo de frete para sua comissão ser maior.

 

2. Escolha bons fornecedores

Com o nicho de atuação definido, é hora de encontrar o fornecedor certo. Como já dito antes, há muitos fornecedores não confiáveis, o que pode ser fatal para seu negócio. Alguns fornecedores confiáveis são:

  • AliExpress;
  • Kaisan (moda);
  • Importados de Grife;
  • Imagem Folheados;
  • Ebay;
  • DX
  • LightInTheBox;
  • Atacado Barato;
  • Gazin.

Como alguns dos fornecedores citados são estrangeiros, é importante também oferecer um prazo de entrega realista, de acordo com as informações fornecidas por eles mesmo.

 

3. Teste os produtos que pretende vender

Com o fornecedor escolhido, é essencial testar se eles são confiáveis de verdade. Adquira alguns dos produtos que pretende vender, para atestar a qualidade tanto do fornecedor quanto do produto.

Afinal, o item realmente vale a pena ou irá gerar dor de cabeça no futuro? Lembre-se que o atendimento ao cliente será de sua responsabilidade.

Verifique se as informações fornecidas na descrição estão corretas, como se o produto corresponde às fotos, detalhes de uso, fotos, avaliações de outros compradores, etc.

 

4. Construa sua loja

Agora, a próxima etapa é abrir sua loja. A melhor maneira de fazer isso é por meio de uma plataforma confiável, como a Confere SHOP

É fácil de começar e você monta sua loja em 3 minutos. Olha só como é simples:

  • Cadastre os produtos selecionados para vender, colocando em categorias, variações de preço, cores, tamanho, etc.
  • Configure o frete e forma de envio, de acordo com as informações disponibilizadas pelo fornecedor;
  • Comece a vender e gerencie diretamente os pedidos e entregas.

A loja é 100% gratuita, com integração com a Sacolinha do Instagram, Google Shopping e Facebook.

Não se esqueça de colocar informações importantes, como formas de contato (e-mail, WhatsApp, etc), CNPJ e nome da loja. Use as próprias fotos dos fornecedores e a descrição utilizadas.

 

5. Comece a divulgar sua loja!

Com os principais detalhes definidos e sua loja construída, é hora de torná-la conhecida e começar a conquistar seus primeiros clientes. Por isso, é essencial construir um plano de marketing sólido, que irá guiar suas ações de divulgação.

Dentre as estratégias que podem ser colocadas em prática, as principais são:

  • Mídia paga: fazer anúncios no Instagram e Facebook são uma das formas mais rápidas de gerar novas vendas. Pelo Google, você pode apostar anúncios dentro do Shopping.

    Veja também: Gravamos uma super aula ensinando a montar um anúncio no Facebook e Instagram Ads do ZERO!
  • Influenciadores digitais: uma estratégia polêmica, mas que gera resultados interessantes. Muitos influenciadores fazem este tipo de divulgação, mas com muito cuidado e responsabilidade, já que a reputação deles está em jogo.
  • Instagram Shopping e Facebook Marketplace: essas duas plataformas são ótimas para divulgar produtos de forma orgânica. Como são funcionalidades novas, ambas possuem bastante destaque.

Mas não para por aí. Há muitas estratégias de marketing que podem (e devem!) ser exploradas para quem possui uma loja virtual

Para conhecê-las mais a fundo, confira agora nosso guia completo de marketing digital para quem possui um e-commerce e aproveite para crescer ainda mais!

Confere Shop loja online grátis
Este texto foi escrito por Luiza Cristina Sousa.