Aprenda a montar um plano de ação para o seu negócio

Por Miriam Barros

Você já ouviu falar em plano de ação? Ele é fundamental para uma organização atingir metas e obter os melhores resultados em seus projetos. 

Mas o que isso quer dizer e como seria útil?

Um plano de ação é um planejamento utilizado de forma organizada e que segue uma metodologia para definir metas e objetivos, as atividades que devem ser realizadas, escolher os responsáveis para desenvolver cada função e acompanhar o andamento do projeto. 

Na realidade, a criação de um plano de ação para um melhor planejamento é uma atividade que os gestores devem abordar em algum momento. 

Por esse motivo, neste post, vamos elaborar algumas maneiras de um plano de ação sucessor e que anime a sua equipe!

Demonstração Confere

Como montar um plano de ação? 

Nesta etapa, você verá algumas etapas da montagem de um plano de ação e algumas ferramentas que podem auxiliá-lo. 

 

Entenda onde quer chegar

O primeiro passo para elaborar um plano de ação é saber o planejamento estratégico da empresa.

Defina seu objetivo para que possa optar pelo restante. Assim, poderá entender se o plano será bem sucedido ou não. 

Para o plano ser bem elaborado, ele precisa de um ótimo executor.

É necessário que ele realize um bom projeto e identifique eventuais problemas durante a execução das atividades. 

Eu tenho uma empresa de disco abrasivo, é importante criar o meu plano de ação perante ao mercado em que estou inserido.

Por isso, para o sucesso do seu projeto,  inclua até uma análise dos seus concorrentes.

 

Planejamento

Depois do objetivo definido, o planejamento é a fase que dará a estrutura do seu plano.

Nesta etapa o executor precisa definir suas principais atividades e os recursos que serão utilizados. 

Nesse momento o executor deve elaborar um cronograma com as tarefas, os profissionais que vão colaborar e o custos necessários.

Além do mais, é importante elaborar planos de ação secundários que atendam as atividades delimitadas. 

Reconhecer os riscos, as vantagens, a qualidade e os recursos são pontos primordiais nessa etapa. 

Planilha Controle de cartões

 

Execução 

Agora que os pontos já estão listados, é hora de colocar o plano em prática.

Nesse momento, para cada uma das atividades definidas, será atribuído o orçamento necessário.

Além disso, os recursos humanos e físicos são primordiais nessa etapa.

O executor deve analisar passo a passo dessa etapa. Aqui ficará evidente eventuais riscos e desvios que podem prejudicar no planejamento. 

 

Monitoramento 

Como vimos ao decorrer dos tópicos, tudo é questão de estratégia. Nessa etapa não é diferente.

É fundamental desenvolver métodos para acompanhar a evolução do plano de ação, bem como definir em um cronograma as datas em que essas análises serão feitas.

Por exemplo, se suas atividades estiverem voltadas a um tubo galvanizado ou a uma máquina de fusão de fibra, você precisará listar suas análises de acordo com a evolução diária dos seus produtos.

Conclusão 

Quando finalizado, é nesse momento que o plano de ação deve ser revisto.

Transferir as informações para um documento permite que você faça o acompanhamento necessário.

Além disso, todos os envolvidos deverão receber uma cópia sobre suas respectivas atividades e outras informações listadas. 

Com o encerramento do seu plano, você pode realizar os próximos processos de criação com tudo que aprendeu desde o primeiro momento. 

Acompanhe outras ações com frequência 

Afinal, para que serve um plano de ação se não para a capacidade de acompanhar suas tarefas, prazos e atingir objetivos?

Reveja sempre seu plano inicial e encoraje os colaboradores a seguir em frente. 

Um plano de ação pode ocasionalmente ser deixado de lado, devido a falta de tempo ou imprevistos.

Mantenha sempre o foco e não perca seus objetivos de mente. 

Nova call to action

Esse artigo foi escrito por Beatriz Barros, Criadora de Conteúdo do Soluções Industriais.