Qual a melhor taxa de cartão para quem está começando um negócio?

Por João Barros

Embora os benefícios de pagamentos via cartão sejam inquestionáveis para as lojas, nem toda operadora trará um retorno positivo a depender do estágio de sua empresa e cada taxa deve ser um ponto de atenção principalmente para quem está começando um negócio.

Assim, é necessário entender como são calculadas as tarifas em cada modalidade de pagamento e qual será mais rentável para o seu empreendimento.

O que torna a escolha ideal um pouco mais complexa é a compreensão 360º da empresa: receita, ticket médio, quantidade de transações, número de vendas, preço dos produtos, dentre outros pontos.

Para ter estes dados em mãos, você deve fazer um planejamento financeiro minucioso.

Essa é uma etapa importante, principalmente para pequenos empreendimentos que muitas vezes possuem baixo recursos e pouca maturidade no mercado de atuação.

Uma pesquisa do Sebrae, por exemplo, mostra que mais da metade das pequenas empresas fecham antes de seu aniversário de dois anos.

O fechamento precoce é motivado por diversos fatores, entre eles a falta de planejamento financeiro e visão estratégica do negócio.

Para te ajudar nesta jornada desafiadora, exploramos como é calculada a taxa para os pagamentos via cartão, além de lhe apresentarmos 13 operadoras e alguns de seus custos e benefícios.

Este artigo pretende ser um guia para que você compreenda como é o funcionamento dos meios de pagamentos via cartão e consiga potencializar sua busca pela máquina ideal para o seu negócio.

No final, há um ranking com as operadoras e as melhores taxas. Acompanhe a leitura!

Parâmetro geral das compras com cartão

Nos últimos anos, foi detectado um aumento considerável na utilização de cartões, especialmente na função crédito e nas compras online.

Esse cenário se deu pela digitalização dos serviços financeiros com a chegada de novas tecnologias, bem como, pela praticidade e segurança que facilita os pagamentos também no comércio eletrônico.

O e-commerce, aliás, cresceu 75% só em 2020, o que representa 11% das vendas do varejo brasileiro. E o pagamento por meio de cartões segue no mesmo ritmo de expansão.

No mesmo ano, foi detectado um acréscimo de 12% e 26% no número de cartões de crédito e débito ativos no mercado.

Quando comparado com outros países da América Latina, o Brasil é a nação que mais usa o cartão de crédito, tanto em lojas físicas, como em e-commerces.

Mas esses não são os únicos dados que reforçam a importância dos cartões para a sua loja.

Uma pesquisa mostra que 82% dos consumidores já escolhem o cartão como meio de pagamento para compras parceladas e 41% dizem utilizar sempre que podem.

Com a mudança no comportamento dos consumidores e o aumento de transações digitais, o cartão de débito já representa 66% e o de crédito 57% nesse universo. 

Ou seja: diversificação nos meios de pagamento é a palavra da vez!

Contar com diferentes meios de pagamentos é essencial para vendedores e a expansão do uso de cartões está abrindo mercado para mais modelos de maquininhas.

Logo, faz-se importante analisar opções de máquinas de cartões e seus planos para possuir um dispositivo eficiente com taxas que contribuam para o crescimento do seu negócio.

Como é calculada a taxa de cartão?

É importante compreender que cada modalidade de pagamento possui taxas diferentes a serem aplicadas sobre cada transação.

Em outras palavras: o custo de uma venda a débito é diferente do custo de uma venda a crédito, que difere também em vendas parceladas.

A taxa cobrada de cada máquina de cartão se aplica levando-se em conta a tecnologia utilizada para que o processo aconteça. 

Vale ressaltar que, apesar de muito simples e prático, essas operações possuem custos altos para garantir a proteção dos dados envolvidos em todo o processo.

Por isso, vamos explicar, de forma didática, o que é considerado para a cobrança da taxa de cartão. 

Cartão de débito

As vendas por cartão de débito são as mais baratas entre as taxas que são cobradas pelas operadoras.

Isso porque a transação ocorre diretamente entre as operadoras de cartão (Cielo, Getnet, Rede, Safrapay, etc.) e os bancos emissores (Bradesco, Santander, Itaú, etc.).

Portanto, o pagamento sai imediatamente da conta do cliente e, em seguida, o banco envia a ordem de pagamento para a operadora. 

A operadora, então, processa a transferência do pagamento para o estabelecimento com um prazo de até três dias.

Assim o dinheiro é repassado do consumidor até o comerciante de forma rápida, com juros menores e uma operação mais barata.

Cartão de crédito

As operações a crédito são um pouco mais complexas do que as de débito, pois incluem mais um elemento que encarece a transação: as bandeiras de cartão

Mastercard, Visa, Elo, Amex entre outras, são empresas que cedem os créditos, e a compra com cartão de crédito é feita da seguinte forma:

     1. O cliente vai até um restaurante, por exemplo, e paga a sua refeição em uma maquininha de cartão da Getnet, com a bandeira Mastercard, à vista;

     2. A Getnet, então, acessa o banco de dados da Mastercard para verificar se existe limite para aquele cartão de crédito que está sendo utilizado;

     3. Apenas para realizar essa transação, a Getnet precisa pagar uma taxa para a Mastercard (ou outra bandeira de cartão). Este custo, portanto, será adicionado ao valor cobrado pela transação para o lojista contratante;

     4. O consumidor paga a fatura do cartão de crédito;

     5. Quando o consumidor pagar a fatura, o dinheiro sairá de seu banco e será entregue à Mastercard;

     6. A Mastercard, então, vai segurar esse dinheiro por mais 15 dias (em média) e pagará à Getnet em 30 dias;

Quando este pagamento acontecer, só então será feito o pagamento ao comerciante.

Por ser um processo que envolve mais partes do que a transação de débito, o custo das operações se torna maior. 

Afinal, é necessária uma maior segurança para lidar com os dados envolvidos nesta modalidade de transação. 

É importante salientar que mesmo que o consumidor não pague a fatura do cartão, o comerciante irá receber o valor, pois a Mastercard, neste caso, garante o pagamento a Getnet.

Qual a maquininha ideal para quem está começando?

Como vimos, cada operadora de cartão possui suas particularidades e diferentes taxas de acordo com o método de pagamento.

Por isso, antes de comprar sua maquininha, é preciso analisar as taxas que serão cobradas com base na quantidade de vendas, nas diferentes bandeiras e modalidades (crédito e débito).

Além disso, há o preço da aquisição do aparelho ou pagamento de aluguel.

Pensando estrategicamente, caso sua necessidade seja momentânea, vale investir em um plano de maquininha de aluguel por este período. Mas fique atento e faça as contas anteriormente.

Outro dado importante que você precisa ter sobre o seu negócio é o fluxo de venda via cartão, ou seja, quantidade de transações realizadas.

Após coletar essas informações, se sua loja vender pouco no cartão, talvez compense investir numa máquina de custo mais barato, mesmo se sua taxa for maior, calcule o custo benefício.

A bateria e tipo de conexão (Wi-Fi ou Chip) também devem ser analisadas.

Pense que não somente a taxa cobrada fará diferença no seu lucro e faturamento sob a venda, mas também todo seu funcionamento, características do aparelho, quantidade de transações via cartão, etc.

Portanto, a seguir, apresentaremos 13 operadoras e suas respectivas taxas. 

Utilize estas informações para navegar pelo site de cada empresa e selecionar o plano ou modelo que mais se encaixa com você.

Serão apresentadas as taxas de débito, crédito com recebimento em 1 a 2 dias úteis, crédito com recebimento em 30 dias úteis, e a taxa de antecipação recebíveis (vendas) parceladas em 1-2 dias ou 30 dias.

Como prezamos pela transparência e desejamos que sua empresa cresça de forma saudável, criamos também um ranking das melhores maquininhas de cartão em cada modalidade.

Veja o ranking completo e conheça mais sobre o portal, modelos de máquinas e seus planos. 

Assim, ficará mais fácil decidir qual a melhor opção para você!

Taxas Ton

  • Débito - 1,99%
  • Crédito - 3,49%
  • Parcelado 12x (antecipação) 22,56%

Taxas C6Pay

  • Débito - 1,85%
  • Crédito - 3,89% (1-2 dias) - 3,29% (30 dias)
  • Parcelado 12x (antecipação) 25,78% (1-2 dias)

Taxas Sicredi (média feita pela Confere)

  • Débito - 1,70%
  • Crédito - 2,70%
  • Parcelado 12x (antecipação) - 35,1%

Taxas Cielo

  • Débito - 2,39%
  • Crédito - 4,99% (1-2 dias)
  • Parcelado 12x (antecipação) - 41,47% (1-2 dias)

Taxas Rede

  • Débito - 1,99%
  • Crédito - 4,97%
  • Parcelado 12x (antecipação) - 25,38%

Taxas Getnet

  • Débito - 2%
  • Crédito - 2% (1-2 dias) - 3,09% (30 dias)
  • Parcelado 12x (antecipação) 38,48% (1-2 dias) - 36,68% (30 dias)

Taxas InfinitePay

  • Débito - 1,44%
  • Crédito - 2,89%
  • Parcelado 12x (antecipação) - 7,43%

Taxas SumUp

  • Débito - 1,9%
  • Crédito - 4,6% (1-2 dias) e 3,1% (30 dias)
  • Parcelado 12x (antecipação) - 21,1% (1-2 dias)

Taxas iZettle

  • Débito - 1,97%
  • Crédito - 4,87% (1-2 dias)
  • Parcelado 12x (antecipação) - 26,88% (1-2 dias)

Taxas Pop Credicard

  • Débito - 1,99%
  • Crédito - 4,97% (1-2 dias)
  • Parcelado 12x (antecipação) - 37,87% (1-2 dias)

Taxas Mercado Pago

  • Débito - 1,99%
  • Crédito - 4,74% (1-2 dias) - 3,03% (30 dias)
  • Parcelado 12x (antecipação) - 21,46% (1-2 dias)
  • Parcelado 12x (antecipação) 19,75% (30 dias)

Taxas Pagseguro

  • Débito - 1,99%
  • Crédito - 4,99% (1-2 dias)
  • Crédito - 3,19% (30 dias)
  • Parcelado 12x (antecipação) - 22,59% (1-2 dias)
  • Parcelado 12x (antecipação) - 20,79% (30 dias)

Taxas Safrapay

  • Débito - 1,88%
  • Crédito - 1,99% (1-2 dias)
  • Crédito - 1,89% (30 dias)
  • Parcelado 12x (antecipação) - 31,85% (1-2 dias)
  • Parcelado 12x (antecipação) - 26,95% (30 dias)

Ranking Confere!

Veja os highlights do ranking:

Melhor maquininha na categoria débito:

A InfinitePay se destaca nessa categoria por possuir uma taxa de 1,44%.

Melhor maquininha na categoria crédito:

O destaque das taxas de crédito é a Getnet com seus 2%;

Melhor maquininha na categoria crédito parcelado:

Aqui novamente a InfinitePay se destaca com uma taxa de 7,43%.

Conclusão

Após entender os processos de cobrança de taxas, o próximo passo é analisar outros pontos, como preço de aquisição, modelo (Wi-Fi, Chip ou Bluetooth) e as necessidades do seu negócio.

Será utilizada em delivery ou no ponto de venda? Há sinal de internet no local? Qual plano se encaixa dentro do faturamento da empresa?

Além disso, vale ressaltar que é possível repassar a taxa de cartão para o cliente, incluindo em compras feitas pelo e-commerce.

Mas fique atento para uma precificação justa, para não perder vendas e afastar potenciais consumidores.

Se você está começando um negócio agora, tenha em mente onde pretende chegar e quais recursos estão disponíveis. 

Assim, você saberá com clareza como escolher a máquina de cartão ideal, considerando a taxa e todos os fatores apresentados aqui. Até a próxima! 

Este texto foi escrito por João Barros.