Tipos de Orçamento empresarial: como utilizá-lo na prática nas PMEs

Por Miriam Barros

Não é de hoje que o planejamento empresarial nas empresas é um dos principais fatores do sucesso ou fracasso da organização, muito se fala em orçamento empresarial, mas na prática esta ferramenta dificilmente é utilizada, mesmo que em pequena escala nas micro e pequenas empresas.

Um dos fatores para a baixa utilização desta poderosa ferramenta está na dificuldade de trazer o orçamento para a prática empresarial, ou seja, mensurar as informações e conseguir um acompanhamento dos números com um aceitável grau de confiança naquelas informações.

Fluxo de Caixa Contador

 

Este artigo irá ajudá-lo a elaborar pequenas premissas orçamentárias e acompanhá-las em software ERP ou em uma simples planilha de Excel, vamos lá.

As etapas que compõem a elaboração de um bom orçamento empresarial são: 

  • Orçamento de vendas. 
  • Orçamento de produção. 
  • Orçamento dos custos indiretos.
  • Orçamento das despesas com vendas.
  • Orçamento das despesas administrativas.

Para explicar na prática como utilizar esta metodologia trabalharemos com o modelo de Orçamento flexível.

Este modelo orçamentário atua basicamente com dois princípios: Custos fixos e Custos variáveis e o seu objetivo é auxiliar a empresa no cálculo da sua capacidade de produção ou prestação de serviços sem “travar” o empresário ou seus gestores no crescimento do negócio, pois o orçamento dos custos variáveis irá se alterar conforme as vendas aumentam ou diminuem.

Bom, vamos ao que interessa!

Para a elaboração do orçamento empresarial devemos começar pelo orçamento de vendas, ele atuará como uma bússola para todas as demais projeções.

É indicado que a previsão de vendas seja segmentada por produto ou grupo de produtos, tipos de prestação de serviços ou regiões de atuação, pois esta segmentação irá auxiliar na projeção dos orçamentos de produção, custos indiretos e despesas com vendas.

1º. Projete as vendas mensalmente com no mínimo 3 meses de visibilidade. 

2º. Calcule os custos de produção vinculados a esta projeção de vendas realizadas.

3º. Converta os custos de produção em % de vendas, por exemplo: foi projetado 100 reais em vendas no mês 1, 120 reais no mês 2 e 150 reais no mês 3 e também foi projetado os custos de produção de 30 reais no mês 1, 45 no mês 2 e 70 no mês 3.

Somando-se as vendas temos um total de 370 reais e os custos de 145 reais, ao fazer a divisão do total de custos pelo total de vendas temos: 145 / 370 * 100 = 39,19%. Utilize este percentual nas próximas projeções dos custos variável.

4º. Apure os custos fixos da empresa: Por definição os custos e despesas fixas são aqueles que ocorrem periodicamente e que não dependem do aumento ou diminuição de vendas para ocorrerem. Exemplo: aluguel, mensalidade do software, honorários contábeis, dentre outros.

5º. Calcule o Lucro operacional (LO): O LO será a subtração das Vendas, menos os Custos variáveis, menos os Custos e Despesas fixas.

Ao realizar estes cinco passos você terá um orçamento empresarial, mas é importante salientar que este planejamento deve considerar a data de competência, ou seja, as receitas e as despesas devem ser lançadas à medida em que ocorrem e não quando são pagas.

 

afonso

Este artigo foi escrito por Afonso Azzola, especialista em Finanças e Estratégias Empresariais / Direito Tributário / Coaching e Liderança.

Afonso atua como administrador em empressas em recuperação e também como Assessor e Consultor Empresarial em diversas empresas, além de ser sócio da Prospera Assessoria e Consultoria.

Contato: afonso.azzola@prosperaconsultoria.com

 

New call-to-action